Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 4.050.449 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 Resultados de pesquisa respaldam o uso tradicional de A.

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Ver Opinião - Ver Opinião - Participação
2378
Sexta-feira, 22 de maio de 2009 - 20:06:38

Resultados de pesquisa respaldam o uso tradicional de A. glabra (graviola) e do extrato alcoólico das suas sementes como uma potente fonte de compostos anticancerosos que podem ser utilizados farmacologicamente.  

 

YouTube - Graviola, uma arma contra o câncer?  

 

6 min - 16 jul. 2007 -  

 

matéria do globo reporter falando sobre as ultimas pesquisas relacionadas sobre a Graviola e Câncer.  

 

http://www.youtube.com/watch?v=u7Z6cEUshDQ  

 

[PMID]:  

BASES  

 

[Au] Autor: 

Cochrane CB; Nair PK; Melnick SJ; Resek AP; Ramachandran C 

 

[Ad] Endereço: 

Department of Pathology, Miami Children's Hospital, Miami, FL 33155, USA. 

 

[Ti] Título: 

Anticancer effects of Annona glabra plant extracts in human leukemia cell lines. 

 

[So] Source: 

Anticancer Res;28(2A):965-71, 2008 Mar-Apr. 

 

[Is] ISSN: 

0250-7005 

 

[Cp] País de publicação: 

Greece 

 

[La] Idioma: 

eng 

 

[Ab] Resumo: 

Annona glabra (pond apple), a tropical tree growing wild in the Americas and Asia, is used in traditional medicine against several human ailments, including cancer. To validate the ethnopharmacological claims against cancer, the anticancer effects of alcoholic extracts prepared from pond apple leaves, pulp and seed, were investigated in human leukemia cell lines. The alcoholic extracts were not cytotoxic to normal human lymphocytes. However, extracts were highly cytotoxic to drug sensitive (CEM) and multidrug-resistant leukemia (CEM/VLB) cell lines. The seed extract was more potent than leaf and pulp extracts, and the cytotoxicity values were significantly lower than that for adriamycin. The seed extract caused a concentration-dependent increase in the percentage of the sub G0/G1, as well as G0/G1 cell population, contributing to the cytotoxicity. The sub G0/G1 population increased from 2.2 to 7.0% in CEM and from 1.0 to 10.7% in CEM/VLB cell lines, when the cells were treated with 0-10 Bg/ml seed extract. Treatment of CEM and CEM/VLB cells with seed extract induced apoptosis and necrosis in both sensitive and resistant leukemia cells in a concentration-dependent manner. The seed extract at 2 and 5 Bg/ml enhanced cellular daunorubicin accumulation, indicating the competitive P-glycoprotein binding ability and drug-resistance reversal effect. Treatment of CEM and CEM/VLB cells with seed extracts also up-regulated the expression of cyclin kinase inhibitor (WAF1/p21) contributing to the arrest of cells at the G0/G1 phase of the cell cycle. These results support the traditional use of A. glabra and the alcoholic seed extract is a potent source of anticancer compounds that could be utilized pharmaceutically.  

 

Annona glabra (lagoa maçã), uma árvore tropical crescendo selvagem nas Américas e na Ásia, é utilizado na medicina tradicional contra várias doenças humanas, incluindo câncer. Para validar o ethnopharmacological reclamações contra o cancro, os efeitos anticancerígenos da alcoólicas extratos preparados a partir de folhas lagoa maçã, polpa e sementes, foram investigadas em linhas celulares de leucemia humana. Os extratos foram alcoólicas não citotóxica de linfócitos humanos normais. No entanto, extratos foram altamente sensíveis ao consumo de droga citotóxica (CEM) e multi-resistente leukemia (CEM / VLB) linhas celulares. O extrato de sementes foi mais potente do que extratos foliares e celulose, bem como a citotoxicidade valores foram significativamente mais baixos do que para Adriamycin. O extrato de sementes causado uma concentração dependente do aumento do percentual do sub G0/G1, bem como G0/G1 população celular, contribuindo para a citotoxicidade. O sub G0/G1 população aumentou de 2,2 para 7,0% no CEM e de 1,0 para 10,7% em CEM / VLB linhas celulares, quando as células foram tratadas com 0-10 Bg / ml de extrato de sementes. Tratamento da CEM e CEM / VLB células com extrato de sementes induziu apoptose e necrose em ambos sensíveis e resistentes leucemia células em uma concentração-dependente maneira. O extrato de sementes de 2 e 5 BG / ml reforçada celular daunorubicina acumulação, indicando o comportamento P-glicoproteína vinculativo e capacidade de resistência a drogas inversão efeito. Tratamento da CEM e CEM / VLB células com sementes extrai-se também regulamentado a expressão da ciclina quinase inibidor (WAF1/p21) contribuindo para a detenção de células em G0/G1 a fase do ciclo celular. Esses resultados suportam o uso tradicional de A. glabra e do extrato alcoólico das sementes é uma potente fonte de anticancerosos compostos que podem ser utilizadas pharmaceutically. 

 

 

Marcelo    

[ocultar participação]  [voltar]

Comentários


Quero comentar Total de 1 comentários  -  1 nesta página
[primeira < anterior   Página de 1     próxima >  [última]

Quarta-feira, 1 de dezembro de 2021 - 07:21:55
 

Nenhum comentário ainda.

 

Webmaster



envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a lista que contém esta participação]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2021)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org