Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 3.696.290 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 no site: http://www.enxaqueca.com.br/blog/?p=893

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Ver Opinião - Ver Opinião - Participação
3231
Terça-feira, 5 de janeiro de 2010 - 15:55:02
201.19.164.194

no site: http://www.enxaqueca.com.br/blog/?p=893 

Autohemoterapia para Enxaqueca: Não Recomendo" 

questionei: 

 

Prezada Dra. Érika, sobre o emprego da Auto-Hemoterapia na Veterinária temos, por exemplo:  

“O veterinário Kleber Felizola, formado pela Universidade Federal de Goiás, ... Ele também inseriu o tratamento na própria clínica veterinária, para combater e/ou auxiliar a recuperação dos cães com problemas de pele, câncer, alergias, entre outros. Para o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) a prática é permitida.  

Kleber Felizola também indica a auto-hemoterapia antes da operação e no pós-operatório dos animais, para reduzir o risco de infecções. Ele informa que ela é usada como coadjuvante na recuperação, nem sempre é o único tratamento adotado.  

Ele garante que a auto-hemoterapia não é efeito placebo, como afirmam algumas pessoas... "Faltam evidências científicas na área porque o método não movimenta dinheiro para as indústrias farmacêuticas". 

Fonte: http://www.iesb.br/ModuloOnline/NaPratica/?fuseaction=fbx.Materia&CodMateria=3525 

 

 

Associação Paulista dos criadores de Ovinos  

Revista O Ovelheiro, edição 84, pág. 07. 

“...Para tratamento, pode-se utilizar medicamentos... ou ainda, fazer uso de uma antiga técnica denominada auto-hemoterapia...” 

LIVRO: GUIA PRÁTICO PARA O FAZENDEIRO. PAG. 323  

“TRATAMENTO (VERRUGAS): 

C) Auto-Hemoterapia...” 

http://books.google.com.br/books?id=qMjO73qNvjEC&pg=PA323&dq=auto+hemoterapia&lr= 

 

 

IMPLANTE PEDICULADO DE PAPILOMAS CUTÂNEOS E 

AUTOHEMOTERAPIA NO TRATAMENTO DA PAPILOMATOSE BOVINA 

(...A autohemoterapia é mais eficiente que o implante pediculado autólogo de papiloma no tratamento de papilomatose bovina...) 

http://64.233.169.104/search?q=cache:AnXB1tVExO4J:www.famev.ufu.br/vetnot/vetnot4/res4-10.htm+auto+hemoterapia+VETERIN%C3%81RIA&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=18&gl=br  

http://revistas.ufg.br/index.php/vet/article/viewFile/314/282 

 

“Nos animais, principalmente entre bovinos, eqüinos e cachorros, essa técnica é adotada há mais de 100 anos, segundo o veterinário Ricardo Henz. “Na veterinária, não conheço restrições. A auto-hemoterapia é um estimulante imunológico”, explica Henz.” DIÁRIO DO NORDESTE (26/4/2007)  

FONTE: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=427490 

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO DE ENSINO  

OCTÁVIO BASTOS - UNIFEOB 

Durante a 32ª EAPIC o professor do curso de Medicina Veterinária da UNIFEOB, Francisco Antonio de Andrade Costa, deparou-se com um caso clínico pouco comum no potro da raça Manga-larga, de nome de Astro LA, de propriedade de Luís Augusto Opis, de Andradas (MG). O potro, que foi reservado campeão na EAPIC, serviu de objeto de estudo no local devido à patologia apresentada, conhecida pelo nome de placa aural, que se localiza no pavilhão auricular de uma ou das duas orelhas de eqüinos. Após a limpeza do local deve se fazer compressão no local, com formol 2%, durante cerca de dois minutos. E por último, fazer o procedimento de Auto-Hemoterapia, que consiste na retirada de 20 ml de sangue da veia jugular do animal, injetando-o na musculatura da região cervical (pescoço). São necessárias quatro aplicações, uma vez por semana da auto-hemoterapia, para estimular o sistema imunológico do animal e interromper o processo de surgimento de novas placas. No encerramento da aula, o professor recomendou a todos os presentes que atentem para a inspeção periódica do interior das orelhas dos animais, para o controle preventivo da referida patologia.FONTE:http://64.233.169.104/search?q=cache:iOopvSO1V6IJ:www.feob.br/novo/noticias/interna-inc.php%3Fid%3D720+auto+hemoterapia+VETERIN%C3%81RIA&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=27&gl=br  

http://64.233.169.104/search?q=cache:k6jb790nYC8J:diariodonordeste.globo.com/materia.asp%3Fcodigo%3D427490+auto+hemoterapia+VETERIN%C3%81RIA&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=3&gl=br 

http://www.famev.ufu.br/vetnot/vetnot4/res4-10.htm 

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=653278&tid=6438138&start=1  

 

E não pára por aí.... Quem se der ao trabalho de pesquisar irá encontrar mais dados, mais atualizados e mais aprofundados... 

Acho que deveria levar os casos em que observa estes abscessos ao Conselho Regional de Veterinária, para que também proibam esta técnica secular na Veterinária... 

Conheço alguns veterinários que discordariam de seu posicionamento... Acho que devemos obrsevar que os riscos da Ah são causados durante o procedimento sem técnica ou higienes necessárias, mas não pela ação da Ah em sí... 

Um abraço 

 

 

Dr. Feldman, respeito seu posicionamento de prudência, mas há de convir que outras terapias medicamentos ou mesmo cirurgias são empregadas mesmo se desconhecendo exatamente os seus mecanismos de ação ou as causas da doença tratada. No caso da púrpura trombocitopênica, por exemplo, em que a retirada de baço ajuda a controlar, mas não trata ou cura a doença, que tem causas desconhecidas. Talvez faltem pesquisas, ou haja a falta de interesse financeiro a gerir investimentos... 

Com a AH, acho eu, é o mesmo caso. Ainda que não se conheçam exatamente os seus mecanismos de ação, sejam de estímulo imunológico ou não, estes existem, independentemente de crença (pois é empregada com sucesso na Veterinária) e podem ser mensurados. Bastam pesquisas. Por meu turno observo in loco seus benfazejos efeitos em minha saúde, na de minha esposa sogra e mãe. Aliás, minha esposa, que sofria de plaqueotopenia leve e suas complicações, incluindo ENXAQUECAS, não as observa mais desde a atuação da AH na sua vida... 

 

 

Sobre sua história temos; 

Enfermagem Moderna - Curso completo, 3ª edição, 1983. Autor: Sebastião Dodel dos Santos. Editora Livraria Freitas Bastos S.A, Rio de Janeiro e São Paulo. No prefácio o Autor diz que "em 1942 apresentou o primeiro trabalho escrito sobre enfermagem", escrito por um Profissional Enfermeiro no Brasil. Nesta 3a. edição de 1983, consta na pg. 139: "Auto-hemoterapia. Consiste em retirar o sangue da veia do paciente e aplicar no músculo do próprio paciente. Tal processo já foi largamente usado." 

 

O Poder Curativo do Sangue – Menos Remédios e Mais Ciência, Dr. Olívio Martins, 1969 -9ª edição, Rio de Janeiro – Brasil Autor: Dr. Olívio Martins  

 

Vade-mecum Enciclopédico da Prática Médica, Autor Prof. Doutor Roberto Pessoa, Dr. Joaquim Clemente de Almeida Moura, editora Andrei. Tradução e adaptação do Vademecum Encyclopédique du Médicin Praticien, de H. Dousset e C Plard, editado pela Libraire Manoile Paris- França, 7ª edição. Na pág. 16 consta no Capítulo II - Técnicas Indispensáveis – Auto-Hemoterapia. É útil em certos casos, Injetar na massa dos glúteos 10 a 20 ml. do próprio sangue do paciente, colhido da dobra do cotovelo. Manobrar rapidamente, para evitar coagulação. 

 

 

 

Sobre a bibliografia antiga e nova (temos livros de 88, 2004) sobre a AH, o que atesta seu emprego durante décadas, temos: 

 

Dicionário Médico Parcionik (au-to-he-mo-te-ra-pi-a)s .[De Auto-+gr.haima,sangue=terapeía,tratamento.] Método de tratamento,que consiste na reingeção imediata de sangue do próprio indivíduo.Var:Autemoterapia. Al.,eigenblut.behandlung; Esp.,Autohemoterapia; Fr.,Authémothérapie; Ingl.,Autohemoterapy;It.,Autoemoterapia.  

 

Dicionário Médico-Blakiston.tratamento de uma doença com o próprio sangue do paciente,colhido por punção venosa e reinjetado por via intramuscular.  

 

Dicionário Médico Fortes-Pacheco. Auto-hemoterapia s.f.(g.Autós,haima,therapeia,tratamentos).Método de tratamento que consiste na injeção de sangue do próprio paciente.  

Dicionário Terminológico de Ciências. Método=Salvat Edtores,S.a. F.inyección al paciente de su propia sangre en el tratamiento de diversas enfermidades infecciosas. Dermatosis Y Estados Alergicos.  

Dicionário de ciências Médicas Dorland. Autohemoterapia (Auto-=hemoterpia). F. Tratamento por dministracíon de la propia sangre del paciente.  

Dicionário de termos técnicos de medicina Garnier Delamare. Autohemoterapia,S.f.(P. Ravaut,1913) ou Auti-hemoterapia,S.F.(F.Ramondd 1911). Modo de tratamento utilizado principalmente nos Estados Alérgicos. Consiste em injetar sob a pele ou, de preferência, na espessura dos músculos,20 a 25 ml. recém-colhido de uma veia do doente, sem submetê-lo a preparo algum.  

Dicionário Digital de Termos Médicos 

Reúne termos importantes freqüentemente utilizados pelos profissionais da área de saúde.  

Na atual versão (2007), foram acrescentados mais de 1500 termos em relação à versão anterior (2006). 1.02739. AUTO-HEMOTERAPIA  

Tratamento com injeções de sangue do próprio paciente por via intramuscular.  

http://www.pdamed.com.br/diciomed/pdamed_0001_02739.php 

Michaelis Moderno Dicionário da Língua Portuguesa 

(c) 1998 Editora Melhoramentos Ltda  

Auto-hemoterapia 

Tratamento feito com o sangue do próprio enfermo administrado por meio de injeções.  

Grande Dicionário Brasileiro de Medicina 

Editora Maltesse ,página 40  

Auto-hemoterapia: método terapêutico que consiste em injetar no tecido muscular  

ou no subcutâneo uma certa quantidade de sangue colhido da veia da mesma pessoa.  

A auto-hemoterapia é indicada em certas moléstias, principalmente cutâneas.  

Dicionário Médico Blakiston 

2ª Edição Organização Andrei Editora (Edição original em inglês) página 134  

Auto-hemoterapia: tratamento de uma doença com o próprio sangue do paciente,  

colhido por punção venosa e reinjetado por via intramuscular.  

Dicionário Ilustrado de Termos Médicos e de Saúde 

Prof. Dr. Alexandre Wolkoff Ano 2005 Editora Rideel 

Auto-hemoterapia: tratamento pela injeção de sangue do próprio doente. 

Portanto, do registro apresentado temos que a AH não é moda internética, nem placebo curandeirístico ou panacéia inócua... Está registrada, observe-se, como tratamento, não como placebo, picaretagem ou curandeirismo... 

Outro dado histórico compondo o quadro de eficácia da AH: 

RELATOS DA (RE)CONSTRUÇÃO DO SABER MÉDICO DURANTE A GRIPE DE 1918  

Liane Maria Bertucci Universidade Federal do Paraná 

INTRODUÇÃO: UMA MEMÓRIA. A EPIDEMIA 

No início dos anos 1970 a coleção Brasiliensia Documenta, editada em São Paulo, publicou seu volume VI dedicado ao doutor Oswaldo Cruz e sua obra. O tomo II deste volume tem como tema A Escola de Manguinhos. Nele, em uma série de textos curtos, o doutor Olympio da Fonseca Filho descreve diversos trabalhos realizados por pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz em diferentes períodos. Em pouco mais de duas páginas, Fonseca Filho rememora um dos experimentos feitos em Manguinhos no início do século XX: o da filtrabilidade do vírus da gripe. (Fonseca Filho, 1973)1 Experiência realizada em meio a epidemia de gripe espanhola do final da década de 1910, a pesquisa feita pelo próprio autor do texto e mais os doutores Aristides Marques da Cunha e Octavio de Magalhães é descrita de maneira sucinta, depois de introdução breve que informa sobre: os primeiros casos da doença no Rio de Janeiro; a tragédia do grande número de mortes e a cidade paralisada; os esforços e dificuldades dos médicos para tratar os enfermos, e a dúvida de alguns deles sobre a natureza da doença ― não dos “médicos mais antigos”, que haviam assistido a epidemia de gripe do final do século XIX, faz questão de frisar Fonseca Filho. (Idem, p.37-38)... 

...Assim, na segunda quinzena de novembro, as semanas finais da epidemia de gripe espanhola no Rio de Janeiro e São Paulo, os três doutores ligados ao Instituto Oswaldo Cruz realizaram suas pesquisas com macacos e cobaias e, também, com seres humanos. Foram efetuadas inoculações de filtrados de escarro e de sangue nos animais, que apresentaram reações febris não obtidas com outro material. Foram obtidos resultados positivos tanto com pessoas vacinadas com filtrado de escarro (seis indivíduos), quanto com as que se submeteram a auto-hemoterapia (quarenta e nove pessoas). (Cunha; Magalhães; Fonseca Filho, 1918, p.175-184) Devido ao declínio do período epidêmico as pesquisas e testes foram interrompidos, mas os procedimentos utilizados e resultados conseguidos foram publicados, com a seguinte conclusão: “a gripe é uma infecção produzida por um vírus filtrável”. (Idem, p.191) Ressalvas, entretanto, alertavam que novos experimentos seriam necessários para comprovação definitiva*. (Idem, p. 180-188) 

(* ATÉ HOJE NÃO HOUVE INTERESSE DE CONTINUAR OS EXPERIMENTOS... POR QUE???) 

FONTES 

CUNHA, A. M.; MAGALHÃES, O. de; FONSECA, O. da. Estudos experimentais 

sobre a influenza pandêmica Memórias do Instituto Oswaldo Cruz Rio de Janeiro: 

Manguinhos, tomo X, fasc. II, p. 174-191, ano 1918. 

EDGERLY, E.T.; MANSON, F.M.; CARR, J.G. The influenza-pnemonia epidemic at 

Camp Dodge, Iowa, 1918. The American Journal of the Medical Sciences.(New 

Series) New York: Lea & Febiger, v. CLVIII, p. 212-216, 1919. 

FONSECA FILHO, O. da. A pandemia de gripe de 1918 e as primeiras demonstrações 

da filtrabilidade do respectivo vírus. Brasiliensia Documenta. São Paulo: [s.n.], 1973. 

Tomo II (Oswaldo Cruz. A escola de Manguinhos), p. 37-39.  

Fonte UNICAMP http://www.preac.unicamp.br/memoria/textos/Liane%20Maria%20Bertucci%20-%20completo.pdf 

 

Note-se que mesmo proscrita, não apontam casos concretos de ineficácia, periculosidade ou inutilidade. A Ah foi receitada por médicos no Brasil desde pelo menos 1920, 1930, não constando nos anais de Medicina, nos órgãos reguladores da área ou mesmo de fiscalização sanitária ou ainda, nos de defesa do consumidor, qualquer denúncia de complicações ou insatisfação com a terapia: 

 

Presidente da SBHH – Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, Carlos Chiatone: “Algum paciente reclamou de danos causados pela auto-hemoterapia? Até o momento não.. 

“Até hoje, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Conselho Federal de Medicina não recebam relatos de danos provocados pela auto-hemoterapia.” 

” http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL696720-15605,00.html (no campo de busca da página do Fantástico, da TV Globo, digite Auto-hemoterapia) 

Do livro: Auto-Hemoterapia – O segredo do bom sangue: 

 

O médico paulista Luiz Mattoso – homeopata, ginecologista e obstetra -, diz que a gripe suína, cujo vírus faz várias vítimas no Brasil, pode ser prevenida com a prática da auto-hemoterapia, assim como a dengue.  

 

José Luiz Runco, médico do Clube de Regatas Flamengo e da Seleção Brasileira, afirma ser um dos pioneiros no uso da AHT na medicina desportiva, em que a técnica é chamada de tratamento regenerativo com o uso de plasma rico em plaquetas. 

-Sindicato dos Jornalistas do RJ - http://www.jornalistas.org.br/ler_agenda.asp?id=202 

 

Ora, poderosas emissoras de TV, rádio e imprensa em geral deram grande destaque midiático ao tratamento mas, mesmo assim não acharam um só caso comprovando os riscos ou ineficácia que alegam ser potencialmente possíveis... 

 

Ademais, muitas terapias empregam a AH: usam o próprio (auto) sangue (hemo) para tratar e restabelecer a saúde (terapia) quais sejam: 

Tampão sanguíneo peridural; 

Plasma Rico em Plaquetas; 

Fatores de crescimento plaquetário; 

Injeção de sangue autólogo no globo ocular para tamponamento e cicatrização de lesão; 

Colírio de plasma de sangue autólogo; 

De novo temos que o sangue é empregado em diversas terapias invasivas. Efetivas mas que usam, como a AH, o sangue do próprio paciente injetado no seu corpo com a finalidade de restabelecer ou proteger a sua saúde. 

 

E sobre agulhamento provocar a ação proposta pela AH, acho pouco improvável. Qual ponto de acupuntura há na região glútea e nos deltóides, registrado na cultura chinesa ? 

Aliás, sabe-se que a Ah vem sendo empregada na Acupuntura há algumas décadas...E sei de alguns especialistas da área que crêem que uma das atuações da acupuntura seria a ação do estímulo imunológico provocado pelos micro sangramentos internos, insuficientes para extravasar pela pele diante do calibre do furo da agulha, mas que reagiriam, por reflexo, no órgão ou tecido ali referendado como pontos de acupuntura...  

De tudo por um tudo, diante das décadas de receita médica da AH sem queixas ou reclamações, há de se admirar quanta sorte temos nós praticantes, ao não sofrer de tantas complicações com que tentam amedrontar ao curioso e para validar a proscrição da técnica... Mais de 650 aplicações, sem qualquer complicação, só saúde. 

Não venho aqui para defender qualquer interesse que não seja o do bem ao p´roximo, principalmente acreditando na eficácia desta terapia que foi inventada por médicos, receitada por médicos por décadas, e de domínio dos médicos até a invenção da seringa descartável e da divulgação midiática...Aí, a Ah passou de tolerada terapia antiga para perigosa, proscrita, demoníaca etc... 

Acho portanto, que está faltando Ciência e sobrando achologia. 

Não há mais espaço para dogmas científicos... 

 

 

A todos: feliz ano novo, muita saúde, paz e prosperidade... 

Olivares Rocha
44 anos
- RJ

[ocultar participação]  [voltar]

Comentários


Quero comentar Total de 7 comentários  -  7 nesta página
[primeira < anterior   Página de 1     próxima >  [última]

 Quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 - 22:43:12 
189.63.223.112

Prezados amigos Olivares e Joel 

Voces teriam e-mails de veterinarios (fora os da ultima pesquisa feita com os ratos), vou escrever para eles.. 

Vou enviar emails com copias a todos, para que fiquem a par da postagem da Dra. 

PODERIAM por gentileza me passar para meu email fetha@ibest.com.br os  ... (total de 384 caracteres)

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)..    

 Quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 - 22:39:09 
189.63.223.112

VAMOS SALVAR ESTA POSTAGEM DA DRA. VETERINARIA, porque de repente ele some do site. 

 

Estava pensando cá com meus botões, já que a AHT não está proibida na Medicina Veterinária, seria conveniente que os CONSELHOS REGIONAL E FEDERAL DE MEDICINA VETERINARIA soubessem da postagem da Dra. (quem sabe  ... (total de 1045 caracteres)

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br).    

 Quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 - 19:58:16 
201.19.92.1

Meus amigos, por favor, menos!!!! 

To tentando fazer dieta e essa leva de elogios, que sinceramente e sem falsas modéstias, não me sinto merecedor, destinado a este modesto colaborador da Ah, faz o ego inflar!!!! 

Temo acirrar, assim, minha disputa com a balança... 

Brincadeiras à parte.  ... (total de 1343 caracteres)

Olivares Rocha
44 anos
- RJ

 Quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 - 09:41:38 
189.63.223.112

Prezados amigos Olivares e Joel 

 

Visitei o site do Dr. e até agora seu comentário não foi publicado. 

 

Segundo a teoria do Dr. de "agulhamento", claro que fortalecida pelo amigo dele que achou muito interessante, é uma teoria que nem é preciso aplicar o sangue, bastaria espetar o local, ou  ... (total de 785 caracteres)

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)..    

 Terça-feira, 5 de janeiro de 2010 - 22:03:42 
189.38.189.54

Amigo Olivares, boa noite, parabéns !!! 

 

Li atentamente seu escrito. É digno de publicação como tese de mestrado e depois de doutorado em 

qualquer especialidade de medicina, já que mais de 50% dos formandos foram reprovados nos exames 

feitos pelo C.F.M. O ministério da educação deverá fazer  ... (total de 1339 caracteres)

Joel Martini de Campos
60 anos
- São Paulo - SP(joelmartini@zipmail.com.br)

 Terça-feira, 5 de janeiro de 2010 - 20:32:42 
189.63.223.112

Incluindo mais material sobre AHT na  ... (total de 1827 caracteres)

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)    

 Terça-feira, 5 de janeiro de 2010 - 17:18:10 
189.63.223.112

Prezado Olivares 

Parabens pelos seus comentários. 

Abraços 

 

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)..    



envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a lista que contém esta participação]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2020)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org