Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 3.680.511 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 Mais um registro histórico da AH em

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Ver Opinião - Ver Opinião - Participação
3558
Terça-feira, 23 de fevereiro de 2010 - 18:56:04
200.20.24.78

Mais um registro histórico da AH em  

 

http://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/17608/3/180_2_FMP_I_01_P.pdf 

 

 

JOSE 

PINTO 

CABRAL 

ÁUTO-SOROTHERAPIA 

DISSERTAÇÃO INAUGURAL 

APRESENTADA Á 

FACULDADE DE MEDICINA DO PORTO 

JULHO bE 1920 

IMPRENSA NACIONAL — de Jaime Vasconoelos — 204, Rua José Falcão, 206 — PORTO 

f* 

o|3- 

X? 

AUTO-SOROTHERAPIA 

jS-OfJL -Frt p 

JOSE 

CORREIA 

ABREU PINTO CABRAL 

AUTO-SOROTHERAPIA 

DISSERTAÇÃO INAUGURAL APRESENTADA A 

FACULDADE DE MEDICINA DO PORTO 

JULHO ÙE 1920 

IMPRENSA NACIONAL 

— de Jaime Vasconcelos — 204, Rua José Falcão, 206 

PORTO 

J($t/Z Thf? 

FACULDADE DE MEDICINA DO PORTO 

DIRECTOR 

br. Maximiano Augusto de Oliveira Lemos 

PROFESSOR SECRETÁRIO 

Dr. 

Álvaro Teixeira Bastos 

CORPO DOCENTE 

Professores Ordinários 

Anatomia descritiva Dr. Joaquim Alberto Pires de Uma 

Histologia e Embriologia ... Dr. Abel de Lima Salazar 

Fisiologia geral e especial ... Dr. António de Almeida Garrett 

Farmacologia Dr. José de Oliveira Lima 

Patologia geral Dr. Alberto Pereira Pinto de Aguiar 

Anatomia patológica Dr. Augusto Henriques de Almeida Brandão 

Bacteriologia e Parasitologia . . Dr. Carlos Faria Moreira Ramalhão 

Higiene Dr. João Looes da Silva Martins Júnior 

Medicina legal Dr. Manuel Lourenço Gomes 

Medicina operatória e pequena 

cirurgia Dr. António Joaquim de Sousa Júnior 

Patologia cirúrgica Dr. Carlos Alberto de Lima 

Clínica cirúrgica Dr. Álvaro Teixeira Bastos 

Patologia médica Dr. Alfredo da Rocha Pereira 

Clínica médica Dr. Tiago Augusto de Almeida 

Terapêutica geral Dr. José Alíredo Mendes de Magalhães 

Clínica obstétrica Vaga (1) 

História da medicina e Deontologia 

Dr. Maximiano Augusto de Oliveira Lemos 

Dermatologia e Sifiligraíia ... Dr. Luis de Freitas Viegas 

Psiquiatria Dr. António de Sousa Magalhães Lemos 

Pediatria Vaga (2) 

Professores Jubilados 

C) Cadeira regida pelo Prof, livre—Dr. Manuel António de Morais Frias (2) Cadeira regida pelo Prof, ordinário—Dr. António de Almeida Garrett! 

À 

Faculdad 

e não responde pelas doutrinas expendidas na dissertação. (Art. 15." § 2.0 do Regulamento privativo da Faculdade de Medicina do Porto, de 3 de Janeiro de 1920). 

Il 

INTRObUCÇfiO 

O assumpto que me propuz estudar, é fora de duvida, sujeito a uma critica a que eu não me poderia 

furtar se, em vez de lhe dar uma feição pratica 

sob o ponto de vista da observação clinica, entrasse em considerações theoricas adaptáveis ao momento actual da sciencia, pois neste caso teria de me esbarrar com enormes difficuldades, advindo umas da pouca pratica, advindo outras da deficiência 

de dados laboratoriaes. 

E, para completar um estudo d'esta natureza, tão complicado como elle se nos apresenta, necessário 

se tornava a ajuda de quem, com competência 

pudesse investigar no laboratório um certo numero 

de elementos que a clinica prevê, mas só o laboratório pode confirmar. 

Desde ha muito tempo que a auto-sorotherapia 

10 

se faz; porem tem sido abandonada e esquecida varias vezes, motivada sem duvida pela falta d'um estudo laboratorial completo em que ella se appoie. Não admira que na pratica os enthusiasmos tenham sido grandes em favor de tal therapeutica, como grandes também tem sido as frequentíssimas decepções. 

Mas isto, longe de ser um motivo de desalento, é pelo contrario um incentivo para o prosegui-mento deste methodo therapeutico, pela forma evidente 

como elle demonstra, no momento actual, a nossa impotência em face da complexidade dos processos naturaes. 

São bem sugestivas as curas expontâneas a que frequentes vezes assistimos e outras interessantíssimas 

que a historia medica nos l