Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 2.349.447 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 em reposta ao médico parecerista, o da proibição da da AH;

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Ver Opinião - Ver Opinião - Participação
3789
Sexta-feira, 2 de abril de 2010 - 22:24:42
201.19.199.173

em reposta ao médico parecerista, o da proibição da da AH; 

 

Sr Munir, o sr sabe realmente o que é Ciência*? 

Sabe o que é método científico**? 

Acha mesmo que ela a boa Ciência, é o burocracismo em que insiste transformá-la? 

Crê realmente que um praticante deixará de sê-lo por uma questionável proibição administrativa? 

Deixará ele, praticante pré ou pós proibição, de sê-lo, mesmo tendo obtido resultados benéficos que a sua Ciência mercadológica não apresenta, somente baseado no seu parecer? 

E seus próximos, deixarão de testemunhar estes maravilhosos resultados só porque o Sr bate o pé nesta história de falta de “comprovação científica”? 

Por que ao invés de ficar atacando a terapia sem qualquer argumento válido, não responde ao menos uma das várias perguntas aqui e em outros fóruns formuladas? 

Se quer trabalhos científicos, que afirma carecer a terapia, por que não os fomenta? Se vê que a divulgação da terapia arregimenta a cada dia mais e mais praticantes... Por que não os promove a fim de proteger estes “desavisados”? 

Ou estes abaixo nada são? 

a)  

Utilização do camundongo NOD (Non-obese diabetic) como modelo de 

estudo sobre a eficácia da autohemoterapia. (2009) 

 

“Como conclusão, observamos novas evidencias a respeito da eficácia da autohemoterapia como ferramenta terapêutica imunomodulatória.” 

 

Dr. Flávio Alves Lara - Bacharel em Microbiologia Mestre em Biociências e Biotecnologia Doutor em Química Biológica Assistente de Pesquisa do Laboratório de Microbiologia Celular 

 

Instituto Oswaldo Cruz Fundação Oswaldo Cruz e-mail: falara@ioc.fiocruz.br 

 

b) FACULDADE UPIS - DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINÁRIA 

TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO 

DE MEDICINA VETERINÁRIA - BRASÍLIA 

Área de Clínica Médica de Pequenos Animais e Clínica Médica e Cirurgia de Grandes Animais 

Acadêmica: Andreia Pagnussatt 

Orientador: Prof. MCs. Adriana Moraes da Silva 

Supervisores: Méd. Vet. Christina de Sirqueira Mendonça 

Méd. Vet. Antonio Leon Branquinho 

A AUTO-HEMOTERAPIA PROMOVE UM ESTÍMULO PROTÉICO, EM CASOS DE DOENÇAS INFLAMATÓRIAS CRÔNICAS, LEVA A UMA REATIVAÇÃO DA IMUNIDADE ORGÂNICA. OS PRODUTOS DA DEGRADAÇÃO ERITROCITÁRIA SÃO CONHECIDOS POR ESTIMULAR A ERITROPOIESE E ATIVAR O SISTEMA IMUNE NORMAL, PERMITINDO A MANUTENÇÃO DA HOMEOSTASIA. A AUTOHEMOTERAPIA PROPORCIONA UM AUMENTO NO NÍVEL DE ANTICORPOS, CAPAZES DE LIGAREM A PRODUTOS PROVENIENTES DA DEGRADAÇÃO CELULAR E ASSIM NEUTRALIZA-LOS, RESULTANDO NA ELEVAÇÃO DOS NÍVEIS DE LINFOCITOTOXICINAS NA CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA (SILVA ET AL.,2002B). O MÉTODO CONSISTE EM RETIRAR 10ML DE SANGUE VENOSO E IMEDIATAMENTE APLICÁ-LO POR VIA INTRAMUSCULAR PROFUNDA. ISTO PROVOCA UM ESTÍMULO IMUNOLÓGICO INESPECÍFICO, QUE PODE LEVAR À QUEDA DAS VERRUGAS (MELO E LEITE, 2003). PLANALTINA – DF DEZEMBRO, 2006 

http://www.upis.br/pesquisas/tcc/Andreia%20Pagnussatt.pdf 

c) SARCÓIDE EQUINO - RELATO DE CASO (NEOPLASIA) 

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN 1679-7353 

PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DE GARÇA/FAMED 

Docentes da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Garça – FAMED 

O sarcóide eqüino é a neoplasia mais comum nessa espécie, representando cerca de 20% dos tumores diagnosticados na necropsia. Asininos e muares também são acometidos (RADOSTITIS, 2000).Pode-se associar o tratamento cirúrgico à auto-hemoterapia, injetando-se cerca de 10 mL de sangue venoso do próprio animal pela via intramuscular, uma vez por semana, totalizando quatro aplicações (THOMASSIAN, 2005).http://www.revista.inf.br/veterinaria08/relatos/05.pdf 

 

 

d) ABORTO ESPONTÂNEO É CAUSADO POR REJEIÇÃO IMUNOLÓGICA, DIZ PESQUISA - “VACINA DO MARIDO“ 

Vacinas com anticorpos (DO SANGUE) do pai podem evitar o problema (ABORTOS DE REPETIÇÃO). COMO É O TRATAMENTO (ÍNDICE DE 86% DE SUCESSO): uma vacina fabricada a partir dos linfócitos (glóbulos brancos presentes no sangue) do marido, no caso da não aceitação da gravidez ser devido as informações genéticas paternas presentes nas células do embrião. A vacina é produzida com o sangue e soro fisiológico e aplicada na gestante, para que ela passe a produzir anticorpos que irão proteger o bebê.  

A vacina promove um estímulo à produção de anticorpos antilinfócitos e de outros fatores que favorecem o processo de implantação do embrião. Se o exame der negativo, é indicada uma vacina feita com 80ml de sangue (linfócitos) do parceiro, que é aplicada por via intradérmica na mulher.  

http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/jun2001/unihoje_tema163pag02.html barini@caism.unicamp.br  

 

o médico explica: Como surgiu esta vacina? Ela foi desenvolvida a partir da observação de que pessoas que recebiam transplantes de rim, na década de 60, e que fizeram transfusões de sangue aceitavam melhor o órgão transplantado. Como a gravidez para a mulher é uma espécie de transplante temporário, imaginou-se que a transfusão sangüínea poderia melhorar a aceitação do feto. O Programa de Imunologia da Reprodução foi estabelecido pelo médico Alan E. Beer, na Chicago 

Medical School (EUA), em 1987. Foi nessa instituição que me especializei, implantando o programa na Unicamp em 1993. Por que é chamada de vacina do marido? Porque consiste na coleta de de sangue do marido. No mesmo dia esse material é fracionado, retirando-se os linfócitos (células brancas do sangue envolvidas no sistema de defesa do organismo). Os linfócitos são lavados, colocados em soro fisiológico e injetados na mulher por via intradérmica, no braço. É como se ela tomasse uma injeção. Por isso é chamada de vacina do marido. Como ela funciona? Aplicamos duas doses do imunizante, com intervalo de dois meses, e confirmamos com exames se a paciente já respondeu ao tratamento. Existe uma prova, chamada cruzada (Crossmatch), que verifica se a paciente já consegue reconhecer o marido imunologicamente. Durante a gravidez, ela tomará mais quatro doses de reforço para manter a produção dos anticorpos elevados e, assim, ter uma gestação segura. Como o produto atua no corpo da mulher? A vacina estimula a produção de um anticorpo chamado bloqueador. Esse anticorpo regula o sistema imune da mulher e o prepara para a aceitação da gravidez. Ele se liga a células NK (natural killers, ou assassinas naturais, as células reguladoras do nosso organismo) e passa uma informação de que o que está se desenvolvendo dentro do útero é uma gravidez e não agressão ao corpo da mulher. Há contra-indicações? Sim. Quando o parceiro é portador de uma doença transmissível pelo sangue, como as hepatite B ou C e HIV/Aids. http://www.aloimune.med.br/noticias.asp?cod=17 

E ainda este antigo estudo, validando a Ah históricamente: 

e) PROVA HISTÓRICA DO EMPREGO DA AH NA MEDICINA, SEM EFEITOS COLATERAIS: TESE DE DOUTORADO DE 1924: 

a auto-hemoterapia nas dermatoses 

UNIVERSIDADE DO PORTO 

“Com origens que remontam ao século XVIII, a Universidade do Porto é actualmente a maior instituição de ensino e investigação científica de Portugal.” 

 

CONCLUSÕES:: 

I - A auto-hemoterapia é um método terapêutico valioso, em numerosas dermatoses, sobretudo nas afecções pruriginosas e furunculoses.  

II - A persistência no tratamento mesmo após a cura é uma causa essencial para se obterem bons resultados, motivo porque se deve elevar o número de injecções para evitar futuras recidivas.  

III - A auto-hemoterapia apresenta sobre os métodos congéneres a vantagem da simplicidade da sua técnica.  

IV - A auto-hemoterapia na quasi totafidade dos casos não tem acidentes e quando os tem são de pouca importância e de pequena duração.  

V - A patogenia da auto-hemoterapia é ainda desconhecida actuando, para a maior parte dos clínicos por o mecanismo da proteinoterapia.  

FONTE : http://www.rnsites.com.br/auto-hemoterapia-tese.htm  

UNIVERSIDADE DO PORTO: http://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/17607 

 

 

 

 

(*)A ciência é o esforço para descobrir e aumentar o conhecimento humano de como a realidade funciona. 

• Investigação racional ou estudo da natureza, direccionado à descoberta da verdade. Tal investigação é normalmente metódica, ou de acordo com o método científico – um processo de avaliar o conhecimento empírico; 

• O corpo organizado de conhecimentos adquiridos por estudos e pesquisas. 

 

 

(**) 

O método científico é um conjunto de regras básicas para desenvolver uma experiência a fim de produzir novo conhecimento, bem como corrigir e integrar conhecimentos pré-existentes. Na maioria das disciplinas científicas consiste em juntar evidências observáveis, empíricas (ou seja, baseadas apenas na experiência) e mensuráveis e as analisar com o uso da lógica. Para muitos autores o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência. 

Metodologia literalmente refere-se ao estudo dos métodos e, especialmente, do método da ciência, que se supõe universal. Embora procedimentos variem de uma área da ciência para outra (as disciplinas científicas), diferenciadas por seus distintos objetos de estudo, consegue-se determinar certos elementos que diferenciam o método científico de outros métodos (filosófico, algoritmo – matemático, etc.). 

Primeiramente os pesquisadores definem proposições lógicas ou suposições (hipóteses) para explicar certos fenômenos e observações, e então desenvolvem experimentos que testam essas hipóteses. Se confirmadas, as hipóteses podem gerar leis e teorias. Integrando-se hipóteses de certa área em uma estrutura coerente de conhecimento contribuí-se na formulação de novas hipóteses, bem como coloca as hipóteses em um conjunto de conhecimento maior que são as leis e teorias reconhecidas consensualmente pela comunidade científica e/ou o paradigma de seu tempo. 

Outra característica do método é que o processo precisa ser objetivo, e o cientista deve ser imparcial na interpretação dos resultados. 

em 

http://www.gaparp.org.br/noticias/index.php?id=16553&page=1#445355 

 

Olivares Rocha
44 anos
- RJ

[ocultar participação]  [voltar]

Comentários


Quero comentar Total de 8 comentários  -  8 nesta página
[primeira < anterior   Página de 1     próxima >  [última]

 Quarta-feira, 1 de setembro de 2010 - 19:11:28 
187.13.199.210

Este doutor deve ser dono de farmacias ou laboratorios por isso não quer o uso da AH pois o consumo de medicamento industrializados diminui quando usamos o tratamento. Eu faço o uso a mais de 6 meses e já obtive curas significativas e posso provar. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alessandra
34 anos
- Itagauaí

 Domingo, 18 de abril de 2010 - 23:10:32 
189.123.80.235

Olá Joel 

Você está bem? 

Sumido porque? 

abraços 

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)    

 Sábado, 3 de abril de 2010 - 21:49:57 
189.38.188.133

Amigo Olivares, boa noite !!! 

 

É isso aí, não necessitamos de ESTUDOS REPLICADOS,REVISÃO SISTEMICA ou METANÁLISE,PESQUISAS RANDOMIZADAS, ESTUDOS MULTICÊNTRICOS, basta os relatos de pessoas idoneas feitos nos FORUNS, pois não receberam um centavo para relatar, para colocar seu PARECER nos 

FORUNS  ... (total de 693 caracteres)

Joel Martini de Campos
60 anos
- São Paulo - SP

 Sábado, 3 de abril de 2010 - 12:31:12 
189.63.220.209

Prezado amigo Olivares 

Grato pela força no inforum e no Gapa com as suas postagens ao parecerista cientifico. 

Este prof Munir deve estar sofrendo de alguma disturbio psicotico com essa obsessão de atacar constantemente a AHT. 

Abraços 

Marcelo 

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)    

 Sábado, 3 de abril de 2010 - 02:15:38 
189.63.219.62

E tambem o comentario da Regina sobre Talidomida 

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)    

 Sábado, 3 de abril de 2010 - 02:12:44 
189.63.219.62

E este: 

 

VEJA ABAIXO NO TEXTO: O pensamento oficial impõe à nova terapia aquilo que ela não segue. Temos o exemplo recente da auto-hemoterapia... 

 

Apresentação Livro "Medicina que Cura Medicina que Adoece", 2009 

 

“Medicina que Cura Medicina que Adoece – Caminhos para a reforma da medicina” de  ... (total de 13409 caracteres)

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)    

 Sábado, 3 de abril de 2010 - 02:10:37 
189.63.219.62

Postei este trabalho: http://www.orientacoesmedicas.com.br/opiniao_integra.asp?cdg=3717&u=1 

 

DO Genival Veloso de França 

Professor de Medicina Legal da Universidade Federal da Paraíba, membro da Junta Diretiva as Sociedade Ibero-Americana de Direito Médico 

 

 

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)    

 Sexta-feira, 2 de abril de 2010 - 23:42:15 
189.63.219.62

Olivares meu amigo 

Uma excelente resposta. 

Mas este prof Munir não é uma pessoa bem intencionada. 

Já argumentamos tudo com ele. Está cansado de ver os resultados da AHT e continua a ignora-los, e inistindo nessa conversa de ciencia cientifica. 

É realmente um ser maldoso, mal educado,  ... (total de 485 caracteres)

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)    



envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a lista que contém esta participação]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2017)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org