Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 4.015.338 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 VAMOS SALVAR O RESTANTE DO CONTEÚDO DO SITE DO IGOR, sabe

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Ver Opinião - Ver Opinião - Comentário
 Quinta-feira, 3 de setembro de 2009 - 10:31:22 

VAMOS SALVAR O RESTANTE DO CONTEÚDO DO SITE DO IGOR, sabe como é..paginas somem do ar...evitaremos que os seus conteudos se percam. 

 

Repetiremos o comentario 20 ( e olhe sem querer, o Senhor Igor resolveu repetir o comentario como nº 21) 

 

20 

 

Sr. Olivares: 

O senhor é cientificamente néscio. Sequer sabe a diferença entre o procedimento em dicussão e outras formas de uso de sanguehumano. É igualmente um desonesto intelectual. Pingar sangue no olho nada tem a ver com AHT propriamente dita e este estudo tem falhas metodológicas. O senhor deveria usar seu saber e seu esforço em coisas proveitosas, com método e regra. Não se transpõe estudos de verrugas em vcavalos para esclerodermia em seres humanos. Tenha vergonha e não incite a população para uma forma de terapia irresponsável, brincando com as esperanças alheias. Tenha vergonha e vá estudar, pois sua atitude pode resultar em danos de terceiros. 

 

Posted by: munir massud | setembro 2, 2009 1:46 PM 

 

21 

 

Sr. Olivares: 

O senhor é cientificamente néscio. Sequer sabe a diferença entre o procedimento em dicussão e outras formas de uso de sanguehumano. É igualmente um desonesto intelectual. Pingar sangue no olho nada tem a ver com AHT propriamente dita e este estudo tem falhas metodológicas. O senhor deveria usar seu saber e seu esforço em coisas proveitosas, com método e regra. Não se transpõe estudos de verrugas em vcavalos para esclerodermia em seres humanos. Tenha vergonha e não incite a população para uma forma de terapia irresponsável, brincando com as esperanças alheias. Tenha vergonha e vá estudar, pois sua atitude pode resultar em danos de terceiros. 

 

Posted by: munir massud | setembro 2, 2009 1:48 PM 

 

22 

 

Dr. Munir, agradeço sua orientação em estudar. Não sou pesquisador profissional, muito menos amador, sou somente um curioso... Mas não me considero desonesto, pois nada inventei, posto que os dados apresentados estejam com suas devidas fontes. Não há metodologia nenhuma nos dados apresentados. São somente o que são: dados... Mas eis que baseados neles me dou o direito, ainda que arrogante, de pensar. Questionar... 

Deixo as respostas lógicas a quem as devem... Desculpe se o levei ao engano... 

Realmente sou néscio, por isso me empenho em estudar, conhecer, mas me dou o direito de questionar, até mesmo para melhor compreender... Em função disto, me arvoro do direito de cobrar de quem deveria fornecer, os cientistas, os pesquisadores, as necessárias respostas às dúvidas suscitadas... 

Afinal, não sou o único que pratica esta terapia secular. Muito pelo contrário. A cada dia, novo praticante, e a cada novo praticante, um novo difusor. Quer ele queira ou não, pois os seus próximos vêem sua melhora e acabam aderindo ao tratamento... 

De tudo por um tudo, a única coisa que a proibição conseguiu, de fato, foi colocar em risco quem faz uso do tratamento, ao restringir acesso ao necessário profissional gabaritado e ao imprescindível acompanhamento médico. 

Até agora, só vi reações destemperadas, carentes de dados, provas ou pelo menos argumentos inteligíveis, não respondendo as questões levantadas, voltados mais para o ataque pessoal, desqualificando o interlocutor... 

Como disse a simples proibição não tem o condão de convencer aos praticantes que foram apresentados a esta terapia por médicos ou não, mas que observaram seus efeitos, que até o momento, são benfazejos, a despeito perigos inerentes... Relação de custo/benefício... 

A mim, esta relação ainda está muito favorável à terapia. Caso consiga entender esta dissonância entre os fatos que apurei até hoje e os motivos de sua proscrição, me renderei... Sempre acompanho sites sobre o tema daqui e lá de fora, e até agora só vi dados corroborantes... 

Sobre verrugas em animais e esclerodermia em gente, peço que o Sr. não me culpe por este trabalho... Quem o fez foi a Dra. Telma Geovanini em conjunto com o Dr. Manoel Mozart Correa Norberto, numa universidade, a UNIPAC-JF Como se pode constatar em http://www.medicinacomplementar.com.br/pdf/tema150808b.pdf 

Sobre incitações, o Dr. foi levado ao engano de novo... Não incito rebeldia às normas, dogmáticas ou não Não me sinto responsável pelas escolhas de ninguém. Proponho o questionamento dos fatos, sejam aceitos ou não. Aí, de posse da posição oficial e do seu contraditório, cada um que faça o proveito que melhor lhe aprouver. 

Eu assim estou fazendo... Há 27 meses... 

Sobre o sangue empregado nos olhos ou em outra parte, não pingado, mas injetado é bom frisar, gostaria que o senhor, com sua formação, me explicasse em linguagem leiga, bem fácil para minha capacidade, se possível, e sem querer abusar, qual a diferença entre o sangue dentro dos olhos, nos tendões e cartilagens, na coluna, no caso do Tampão Sanguíneo, nos ossos, como no PRP dos ortopedistas e ortodontistas etc, e o sangue injetado no músculo... Realmente meu discernimento não consegue entender. Como faço esta terapia há 27 meses e só observei efeitos benfazejos, gostaria de saber quais os reais riscos em que incorro... 

Obrigado pela atenção dispensada para com este humilde interlocutor e desculpe minha arrogância... 

 

Posted by: Olivares Rocha | setembro 2, 2009 7:26 PM 

 

23 

 

Senhor Olivares, eis mais algumas: 

O seu acervo de “provas” ou seja lá o que for, é mesmo um amontoado de quinquilharias. O senhor não se envergonha de que isso que escreveu venha a ser lido por algum cientista ou pessoa de formação científica e cultural? O senhor não tem pudor intelectual? Como se aventura a dizer um monte de bobagens para defender publicamente uma terapia não comprovada que vem sendo usada para diversas enfermidades e condições, sem que tenha recebido qualquer estudo de elevado padrão para uma delas sequer, quando seriam necessários centenas? 

O senhor recorreu a sebos e livros antigos para provar o quê? Acha que a opinião de Dodel tem valor para o quê? Para provar que a auto-hemoterapia é procedimento inventado na década de 1920? Isso prova o quê? Antiguidade, neste caso, senhor Olivares, depõe contra, não a favor. Não cite mais essa baboseira. Métodos antigos de verificação não são mais acatados. A Medicina científica é moderna e, portanto, não adianta recorrer a exemplos antigos para justificar pontos de vista. O que vale é a medicina científica, notadamente aquela praticada nas últimas duas décadas, quando a metodologia da pesquisa tornou-se mais rigorosa. Não faça mais viagens históricas senão o senhor se espatifa na própria ignorância. Não se meta com isso senão a parada vai ser ainda mais indigesta. 

O que significa essa bobagem de citar dicionários para buscar definições sobre auto-hemoterapia? Já que gosta de se exercitar neste tipo de tarefa, aproveite e procure nos seus livros o significado de picaretagem, charlatanismo, embuste, pseudociência, cegamento, falseabilidade, ceticismo, delineamento de pesquisa, dogmatismo, duplo-cego, efeito placebo, nocebo, empirismo, epistemologia, epifenômeno, veracidade, não-maleficência, beneficência, fidedignidade, falácias, verificabilidade, probabilidade, protocolo de pesquisa, quase-experimento, replicação, retrospecção, revisão de literatura, randômico, viés do observador. Penetre um pouco no mundo da metodologia científica. É maravilhoso. Eu ainda sou um aprendiz dessa matéria, mas muito feliz por ter saído do limbo. Vamos estudar juntos? 

Tenho certeza absoluta que se o senhor se interessar por coisas sérias como estas, vai se curar dessa necessidade de recorrer a estas formas escusas de encarar a realidade dos fatos. O senhor, presumo, deve ser pessoa de mentalidade mágica e, por isso, com tanto material realmente científico à sua disposição, o senhor vai em busca dessas coisas sem comprovação, obscuras, que desafiam a ciência, para satisfazer a alguma necessidade interior, quem sabe produto de alguma fantasia. Difícil saber, não é? 

O senhor é médico? Não parece. Qual o seu interesse sobre o tema? Usá-lo para tratar a si próprio ou algum parente? Prescrevê-lo? Defender o seu uso publicamente? Interesse puramente intelectual? Raiva? Talvez nem o senhor mesmo saiba a sua motivação. Presumo que o senhor não é uma pessoa intelectualmente honesta, pois sabe de todos os argumentos contrários à sua tese e mesmo assim fica entrincheirado procurando defender a idéia a qualquer custo. Foi Popper que chamou a esta conduta de desonestidade intelectual, atribuindo-a aos psicanalistas, que agem da mesma forma. Não fique, pois, muito ferido com a expressão, pois não estou me referindo a outro tipo de desonestidade, apenas no âmbito das idéias e da sua necessidade de defender o que não tem mais sentido defender. Eu tenho certeza que ninguém, inclusive celebrados cientistas que também se pronunciaram sobre a falta de estudos, vão lhe convencer. O argumento científico não lhe basta e muito menos os de natureza epistemológica. O seu problema, presumo, é a sua mentalidade mágica. O senhor não apresenta fatos para serem discutidos criticamente. Não apresenta trabalhos científicos atuais e de qualidade. Logo, não estou desmerecendo a pessoa para contestar os fatos, pois não há fatos. O que penso sobre sua pessoa é dito em face de sua temeridade, de sua ousadia excessiva, de sua imprudência. Se o senhor demonstrar sabedoria e reconhecer que esta terapia deve antes se submeter a testes genuídos e seu uso sustado, então retiro o que disse, com muito prazer. Mas se continuar a bater a cabeça na parede o problema é do senhor. 

Eu fui chamado de “superficial” por um jornalista desonesto e analfabeto científico, e de “criminoso” por um canalha pelo fato da secretária do CFM ter posto Dr. diante de meu nome! Essa caterva não poupa ninguém, não tem respeito por ninguém e prostitui qualquer blog. Mas não foi apenas por isso que resolvi me pronunciar, pois pouco entendo de canalhas e prostitutas. Mas para que esses propagandistas fanáticos saibam que não podem berrar à vontade, que tem gente de opinião e coragem para coibi-los. Mas até certo ponto, onde até a coragem perde o sentido: diante da molecagem. 

A auto-hemoterapia que o senhor defende é muito específica e tem indicações para muitas doenças e condições. Que baboseira é essa de compará-la a procedimentos científicos que utilizam sangue? Isso é tão maluco que não merece comentários. Mas posso desmontar esse argumento tolo se o senhor desejar. 

Por que o senhor não se interessa por fisiologia humana ou animal, disciplinas de rara beleza e extraordinário acervo de saber comprovado? Patologia, farmacologia, embriologia, pneumologia, ginecologia, hematologia (já que gosta tanto de sangue), equilíbrio ácido-básico, etc? Por que o seu interesse por essa panacéia? Quer rebelar-se contra a ciência? Contra a Medicina? Sabe o que isso significa? Sabe quantos milhões de pessoas a cada dia são acudidos por anestésicos, antibióticos, cirurgias de todos os tipos e magnitudes extraordinariamente complexas, métodos extraordinários de diagnósticos, terapias de aneurismas, cirurgias cardíacas, técnicas de vascularização? E o senhor está com raivinha disso tudo, porque acha que existe uma rede de conspiração contra as terapias populares? O que o senhor leu em Popper sobre essas idéias conspiratórias? Quem prescreve exercícios físicos, reidratantes, cloreto de potássio, medicamentos genéricos? Quem usa gesso há tantos anos? E opiáceos? O senhor está com raivinha e quer matar a indústria farmacêutica? Sabia o senhor que ela é responsável por mais de 70% das pesquisas em medicamentos? Que isso representa tantos bilhões de dólares e que governo nenhum do mundo poderia dispor de tanta verba para pesquisa? Sabia que sem isso não teríamos antibióticos, vacinas, anestésicos, imunomoduladores, tuberculostáticos, antialérgicos, diuréticos, antidiabéticos? É claro que interesse de lucro. Mas eles não ousam mais apelar para fraudes, pois são flagrados e o custo é catastrófico. Sem lucro não tem pesquisa e sem pesquisa ficaremos na merda, pois os governos não bancam! Então, que história é essa de conspiração, para justificar o desamparo desse vampirismo que o senhor defende? Quer voltar a andar de quatro? 

Ao invés de apresentar essa bagaceira nojenta de argumentos, inclusive com erro de datação de artigo, indique trabalhos científicos metodologicamente adequados ou metanálises sobre pelo menos cinco das indicações de auto-hemoterapia propriamente dita e não fale mais de outras terapias com sangue e nem sobre cavalos. O senhor não apresenta nenhum sequer sobre nenhuma indicação. Então o que quer? Por que fica incitando a opinião de pesssoas em favor a efetividade dessa terapia? 

Que dado cretino é esse de 98% de aceitação? O que o senhor acha que isso significa? Isso não é pesquisa eleitoral, meu senhor, é uma terapia que pretende curar doenças graves. O senhor não medo de sua consciência acusá-lo de irresponsável? Tem pessoas ingênuas que estão trocando tratamentos efetivos de doenças graves por essa terapia sem comprovação. Isso pode produzir resultados desastrosos. Soube de algumas pessoas com lúpus eritematoso sistêmico que recentemente abandonaram o tratamento convencional por auto-hemoterapia. Este pode ser um caminho sem volta, infelizmente. Pelo amor de Deus, não incentive. Apoiar essa terapia neste País de imensa ingenuidade e ignorância científica, é o mesmo que prescrever e aplicar – um ato irresponsável. 

Ao que parece, o prefeito de Olinda tentou realizar pesquisa completamente atabalhoada sobre AHT e foi chamado pelo CREMEPE. Procure informação sobre isto e não nos mande novamente recorrer aos conhecimentos médicos deste senhor. Ademais, o senhor está citando novamente o Dr. Luiz Moura? Não é possível! É isso parte ativa do seu acervo de saber sobre a matéria? 

O senhor está mandando Ígor e eu procurar informações em rádios e artigos do arco da velha? O senhor está doido? Somos pessoas com algum senso crítico e alguma instrução científica, tenha respeito. Vai querer que a AVISA, o Conselho Federal de Medicina, o Conselho Nacional de Enfermagem, o Conselho Nacional de Farmácia e a Sociedade de Hematologia e Hemoterapia consulte as fontes indicadas pelo senhor e mude de idéia, com essa porcaria que o senhor apresenta à guisa de comprovação? 

O senhor já ouviu falar no “leito celestial” de Mesmer? E em Joanna Stephens? E em James Morison e suas “pílulas universais”? Todos charlatães grosseiros. Pois bem, suas terapias causaram enorme sucesso e foram aclamadas por grande parcela da população. Uma delas, pretendia dissolver cálculos vesicais com pó de casca de ovo e água de sabão. A pressão popular foi tão grande e tantos os “sucessos” alegados, inclusive por um médico (que apresentou uma coletânea de 144 casos), que o Parlamento Inglês pagou ciinco mil libras a Joanna para que ela revelasse a fórmula para uso público! Morison fez com que a pupulação da Inglaterra impedisse que os seus comprimidos universais fossem proibidos, pois realmente as pessoas se sentiam bem e curadas dos seus males, indicado como panacéia para combater tudo pela limpeza do sangue. Uma análise desses comprimentos revelou que eram compostos de laxantes fortes. Tem mais de uma centena de histórias desses charlatães cultos, que se tornaram célebres, todos aclamados pela população. Antes das exigências metodológicas atuais muitos medicamentos ortodoxos foram criados com base numa compreensão incompleta da fisiopatologia das doenças. Foram muitos os insucessos. Como pode o senhor não enxergar que a testabilidade genuína é o único método ético e respeitoso para com a humanidade? Desrespeitosa é a sua proposta, seus exemplos, sua negação da testabilidade, seu apoio a uma forma enganosa de validação. Os sectários desse vampirismo nojento, tal como ora é praticado, tenha ou não fim, haverão de ficar na margem, na periferia da imensa cidade das ciências. Pior que isso, na obscuridade, na clandestinidade. 

 

 

Prezado Ígor: 

Por aqui me despeço e disso não falo mais, pois não encontrei um crítico sequer com um mínimo de cultura científica que merecesse esforço maior que este. Fui além do que me permiti até hoje. O resto vai ser apenas desaforos, discussão agressiva. Não desejo ser mais incisivo do que já fui. Se alguém apresentar agumentos sólidos, com sabedoria e desejoso de encontrar a verdade, eu voltarei. Se forem convincentes eu reverei o meu ponto de vista com muito prazer, pois sou escravo das evidências. 

 

Um abraço fraterno de 

Munir Massud 

 

Posted by: munir massud | setembro 3, 2009 4:38 AM 

 

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)./    

[voltar]

envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a participação que motivou este comentário]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2021)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org