Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 2.310.215 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 O Milagre do Carvão Fóssil Vegetal Uncategorized -

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Ver Opinião - Ver Opinião - Comentário
 Quarta-feira, 21 de abril de 2010 - 12:28:00 
189.63.214.38

O Milagre do Carvão Fóssil Vegetal 

Uncategorized - 22/02/2008  

 

http://www.novamondo.net/carvao.html 

FONTE: www.vivacerrado.com/pg/ambiente.htm 

 

Produto pouco conhecido ligado à medicina natural pode ser introduzido e ampliado na cultura popular, mas tem descrição físico-química que justifica sua eficácia. 

 

O remédio promete tudo: restauração óssea gasta pela osteoporose; combate à artrose, artrite e reumatóide; elimina ou atenua o stress, o cansaço mental e físico, além de auxiliar no tratamento de câncer, nos problemas do sistema digestivo e ser um grande aliado na hora de eliminar úlceras péptica, duodenal e pilórica. Com todos esses atributos, até parece conversa de camelô ou um elixir da eterna juventude. 

 

Acontece que uma nova onda de soluções medicamentosas está dando sinais de que veio para ficar. Existem remédios à base desse concentrado mineral de carvão fossilizado que tem nos nomes de muitos de seus manipuladores, como o químico Francisco Antunes, Prof.Dr. pela Universidade de São Paulo (USP), uma garantia. Ou algo como um selo de qualidade. 

 

O carvão ativado como medicamento (há outras aplicações químicas) vai muito além do que o que se conhece popularmente até hoje. Exemplo de uso popular são os velhos filtros de cozinha. A composição dos remédios feitos a partir dessa substância não é nada simples: bário, estrôncio, zircônio, vanádio, cobre, lantânio, cromo, ítrio, chumbo, níquel, cobalto, gálio, escândio, estanho, molibdênio, titânio, cádmio, prata, germânio e mais 15 elementos em sub-traços. 

 

A razão para a eficácia do tratamento - esta, sim, muito simples - é que o carvão vegetal é uma substância porosa capaz de captar e de fixar muito do que existe de estranho ou tóxico contido no ar, na água, nos alimentos, no nosso corpo ou sobre a pele. O carvão adsorve outras substâncias (é adsorve mesmo, com “d”, do verbo adsorver, que significa, segundo o Dicionário Houaiss, o processo pelo qual átomos, moléculas ou íons são retidos na superfície de sólidos através de interações de natureza química ou física). Além, é claro, de segurar componentes de entorpecentes, aditivos alimentares, agrotóxicos e adubos químicos, metais pesados, gases e detergentes, para depois expulsá-los do organismo. 

 

Claro que não é prudente para ninguém sair por aí vendendo carvão ou comprando qualquer cápsula vendida na rua. O importante é reconhecer que uma tecnologia de exploração mineral já está dando resultados há alguns anos e ainda não chegou ao domínio público, a não ser nos velhos casos em que a tradição fala mais alto. É o caso do gemólogo Rogério Viana, 52 anos, que esbanja saúde sem esquecer uma das origens de seu atual desempenho físico. 

 

- Quando éramos pequenos, minha mãe já administrava o carvão ativado para muitos males que nos acometiam. Morávamos em lugarejos sem muitos recursos médicos. Esta notícia mostra que, de novo, a sapiência antiga está sendo colocada à prova. Se houve mesmo pesquisas e comprovações, o carvão é muito melhor do que se imaginava. É uma verdadeira panacéia da medicina natural - diz Rogério. 

 

O carvão ativado também combate bactérias como as salmonelas, terror das famílias de baixa renda às voltas com índices assustadores de diarréia e estafilococos. Na pecuária, vírus como o da febre aftosa, podem reduzir os temores dos veterinários. Nas regiões urbanas a ação do produto é devastadora contra toxinas produzidas pelos bacilos da difteria, do tétano, do botulismo e da gangrena, como também os tóxicos e ácidos provenientes da decomposição dos alimentos. 

 

O naturalista, professor de idiomas e tradutor Mário Fonseca está tentando introduzir em Brasília o carvão fóssil vegetal como saída para males tradicionais de regiões tropicais e subtropicais, lembrando que não se trata de saudosismo ou fuga dos procedimentos médicos da alopatia. Ele bebeu na fonte, como se orgulha de declarar ao recordar que teve o primeiro contato com os benefícios do carvão das mãos de um dos seus introdutores como medicamento, o próprio professor Francisco Antunes. 

 

- Minha saúde era muito frágil. Eu ia me lascar. Desde os 12 anos vivia cabisbaixo e tinha todo tipo de doença. Há 25 anos o professor Antunes, que criou diversos produtos naturais me deu duas cápsulas de carvão. Foi um insight que tive – diz Mário Fonseca. As turbulências na vida de Fonseca chegaram ao fim. Hoje, sem abandonar o hábito da ingestão do carvão, ele afirma que trabalha meio expediente e vive em constante contato com a natureza. 

Texto: Solon Dias 

 

Ciência e sabedoria popular contra doenças comuns 

 

O carvão ativado usado como remédio não tem efeitos colaterais. Quem tem o péssimo hábito de se auto-medicar, porém, deve primeiro consultar especialista, como em qualquer situação de saúde abalada. 

 

O naturalista Mário Fonseca faz estas recomendações e dá, abaixo, as dicas das múltiplas aplicações do produto. 

 

1. Intoxicação por medicamentos - O carvão ativado adsorve muito bem os antidepressivos, os beta-bloqueadores, os bronco-dilatadores, os barbitúricos utilizados em dose excessiva (como na tentativa de suicídio) e muitos outros medicamentos. 

2. Intoxicação por alimentos - Essas intoxicações são provocadas pela toxina secretada por um micróbio presente no alimento infectado (carnes, peixes, crustáceos, conservas, doces, etc). Ao capturar as bactérias e as toxinas o carvão impede que passem para o sangue. O carvão adsorve avidamente até as aflatoxinas, venenos produzidos pelos fungos do bolor, que podem prejudicar o sistema nervoso e causar câncer do fígado. As aflatoxinas que aparecem principalmente no pão e no amendoim embolorado também podem estar presentes no presunto defumado, no coco ralado, em nozes e em amêndoas. 

3. Problemas digestivos - Como diarréia, gases e mau hálito. O carvão adsorve os próprios gases ou as bactérias intestinais que produzem os gases. Em casos de diarréia, o melhor tratamento é a reidratação acompanhada de carboterapia, pois o carvão é eficaz no combate às diarréias provocadas por medicamentos e também à diarréia tão desagradável do turista. 

4. Picada de cobra, aranha, escorpião, abelha, vespa, contato com água- viva - Como o carvão ativado adsorve o veneno, aplica-se sob forma de pasta, diretamente sobre a picada ou aplica-se uma compressa (envolvendo a pasta de carvão em uma gaze) coberta de plástico. Como medida de primeiro socorro, em caso de picada de cobra, lava-se o local da picada com sabão e mergulha-se durante uma hora em água com carvão (1/2 xícara de carvão para 6 a 15 lts d’água). Depois, aplica-se uma compressa no local da picada, trocando-se a cada 15 minutos. Também se ministra, a cada 2 horas, por via oral, durante 3 dias. Mas atenção: essas aplicações não devem substituir a busca de ajuda para a aplicação do soro contra o veneno de cobra, aranha ou escorpião. 

5. Problemas dos olhos, nariz, garganta e ouvidos - O carvão pode ser usado como germicida no tratamento de infecções superficiais. Um cataplasma de carvão representa, às vezes, o único tratamento de uma furunculose no canal auditivo. Também podemos branquear os dentes escovando-os com o carvão numa escova úmida. 

6. Insuficiência renal aguda e crônica - Para combater as complicações infecciosas. 

7. Icterícia grave do - Para a adsorção de bilirrubina. No caso de icterícia nuclear, foi possível reduzir a necessidade de transfusão, dando ao bebê 1/2 colher de chá de carvão ativado em uma mamadeira, a cada 3 horas. 

8. Feridas infectadas com pus - Como ficou comprovado que os curativos com carvão ativado adsorvem bactérias, diminuem as secreções e reduzem o mau cheiro da ferida, a Grã-Bretanha emprega esses curativos nos campos de batalha. O carvão é também usado em hospitais para curativos de úlceras varicosas infectadas e feridas pós-operatórias infectadas. 

9. Problemas de dependência - O carvão adsorve eficazmente muitas substâncias contidas nas bebidas alcoólicas (o álcool etílico e outras substâncias do gênero), responsáveis pelos sintomas da intoxicação alcoólica aguda. Também fico comprovado que o carvão é um adsorvente eficaz de diversos alcalóides e principalmente da nicotina e da morfina. 

10. Envelhecimento - Como o organismo, ao envelhecer, torna-se mais sensível aos agentes tóxicos, diversos geriatras comprovaram o efeito benéfico de uma dose diária e regular de 20 a 80 gr (3 a 12 colheres de sopa) de carvão em pó, para pessoas de idade. 

A carboterapia bem conduzida pode regenerar o organismo e aumentar a longevidade. 

Texto: Solon Dias 

 

Marcelo Fetha (fetha@ibest.com.br)    

[voltar]

envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a participação que motivou este comentário]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2017)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org