Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 4.046.596 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 MICHELE AUTORIZA A PUBLICAÇÃO DE SEU TRABALHO NO STF - Re:

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Ver Opinião - Ver Opinião - Comentário
 Sábado, 25 de abril de 2009 - 19:45:48 

MICHELE AUTORIZA A PUBLICAÇÃO DE SEU TRABALHO NO STF - Re: pedido de autorização para publicação no STF 

 

ref. Authemoterapia na Obrigação do Estado de disponibilizar medicamentos ou tratamentos experimentais não registrados na ANVISA ou não aconselhados pelos Protocolos Clínicos do SUS  

 

Prezada Michele 

Nós que agradecemos a sua autorização junto so STF Audiencia Pública Saude 

Atenciosamente 

Marcelo 

 

 

MICHELE AUTORIZA A PUBLICAÇÃO DE SEU TRABALHO NO STF  

 

de michellecesarino@hotmail.com>  

para fetha@ibest.com.br,  

drvirus@famev.ufu.br  

cc audienciapublicasaude@stf.jus.br,  

eduardo.suplicy@senador.gov.br,  

pfdc001@pgr.mpf.gov.br  

data 24 de abril de 2009 17:59  

assunto RE: pedido de autorização para publicação no STF  

enviado por hotmail.com  

 

2009/4/24 Michelle Cesarino  

 

Está autorizado a utilizar este trabalho como fonte de dados. 

Agradeço por me informar, e assim contribuir. 

Atenciosamente, 

 

Michelle Cesarino 

Residente de Clinica de Animais DOmésticos do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) 

 

EFEITO DA AUTOHEMOTERAPIA ASSOCIADA COM CLORABUTANOL NO TRATAMENTO DA PAPILOMATOSE ORAL EM CÃO (Canis familiaris) – RELATO DE CASO 

Cesarino, M.1; Ávila, D. F.1; Fernandes, C. C.1; Silva, C. B.1; Scherer, D. L.3; Dias, 

T.A4.; Mendonça C. S.2.; Castro, J. R.3 

1. Residente do Hospital Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária da 

Universidade Federal de Uberlândia (FAMEV-UFU). 

2. Mestre e Médica Veterinária Administrativa do Hospital Veterinário 

(FUNDAP/UFU). 

3.Pós-graduanda em Ciências Veterinárias da FAMEV-UFU. 

michellecesarino@hotmail.com. 

A papilomatose oral canina se caracteriza pela ocorrência de papilomas únicos ou múltiplos nas membranas da mucosa oral, sendo causada por vírus infectes de cães. Os sinais ocorrem quando as verrugas se proliferam no trato gastroentérico, principalmente na cavidade oral. Ocorre a dificuldade na alimentação e contaminação devido às lesões decorrentes durante a mastigação. Os papilomas podem regredir espontaneamente em algumas semanas. Às vezes se faz necessário a remoção cirúrgica, com uso de técnicas eletrocirúrgicas. O papilomavírus é espécie-específico e comumente acomete uma determinada área do corpo, sendo os cães jovens os mais afetados. O vírus é um RNA de fita dupla, com transmissão por contato direto, fômites e, possivelmente por insetos. O objetivo deste trabalho foi verificar a eficácia da autohemoterapia associado ao uso do clorabutanol, no tratamento de um caso de papilomatose oral canina. Uma cadela mestiça de seis meses e 12 Kg, foi atendida no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com histórico de surgimento de verrugas da boca há dois meses anteriores à consulta. No exame físico, o animal apresentava-se ativo, hidratado, com mucosas normocoradas, pêlos brilhantes e temperatura retal normal (38,5ºC), com bom estado geral. No exame das vias digestivas anteriores estavam presentes feridas papilomatosas em toda mucosa oral, atingindo principalmente a gengiva e a língua. As lesões eram branco-acinzentadas, de consistência firme, em forma de couve-flor, com alguns nódulos erodidos em sua superfície. A cadela foi tratada com autohemoterapia e clorabutanol. Foram feitas aplicações intramusculares de 3 ml do soro do animal, 1 vez por semana, durante 15 dias e do clorabutanol (30mg/kg), de 3 em 3 dias durante 9 dias. O resultado foi satisfatório após 15 dias de tratamento, com escurecimento, regressão e desaparecimento de 60% dos nódulos papilomatosos. Os nódulos remanescentes a terapia instituída foram removidos por exérese cirúrgica, a fim de se evitar o desprendimento durante a alimentação e possíveis complicações com hemorragias e contaminação, além de assegurar o bem estar do animal. 

Palavras chave: autohemoterapia, clorabutanol, papilomatose oral. 

FONTE: página 62 do arquivo: http://www.famev.ufu.br/documentos/anais_secivet_2008.pdf 

 

2 anexos — Baixar todos os anexos  

anais_secivet_2008.pdf 

692K Exibir como HTML Download  

EFEITO_DA_AUTOHEMOTERAPIA_ASSOCIADA_COM_CLORABUTANOL_NO_TRATAMENTO_DA_PAPILOMATOSE_ORAL_EM_CAO.pdf 

10K Exibir como HTML Download  

Marcelo    

[voltar]

envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a participação que motivou este comentário]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2021)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org