Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 4.015.371 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 Mais postagens do inforum:

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Ver Opinião - Ver Opinião - Comentário
 Domingo, 16 de agosto de 2009 - 13:06:42 

Mais postagens do inforum: http://inforum.insite.com.br/39550/ com o identificador de rede, (os dois primeiros octetos da esquerda para a direita): IP 189.83. 

 

COMO AS DATAS das postagens SÂO RECENTES, coincidem com os MUITOS ataques recentes à Auto-hemoterapia, seus defensores, e contém estorinhas mentirosas (SEM PROVAS), vocês vão mesmo acreditar que é mera COINCIDÊNCIA? A AHT em 111 anos não teve NENHUM registro de alguém que tenha se dado mal, e agora vem pessoas que não tem resultados, interessados, com duvidas com irmãs que também não tem beneficios etc. 

 

ISTO É CARACTERIZADO como CRIME CIBERNÉTICO, e merece apuração rigorosa. 

 

ASSIM reitero a minha sugestão ao Webmaster do Orientações Médicas, para que estude EXIBIR o e-mail e IP de TODOS os que postarem, evitando que estes fatos se repitam, e coibirá os "contras", que até teriam todo o direito de contestar a AHT, mas desde que com argumentos que façam sentido, com um MÍNIMO de "escrupúlos" que infelizmente "estes" últimos demonstaram não ter. 

 

* * * 

 

Data: 11/08/2009 11:29 

De: nathália  

IP: 189.83.49.156 

Assunto: Cuidado Gente! 

 

Senhores que divulgam essa prática.  

Quando o sangue é colocado no musculo ele pode simplesmente ser fagocitado pelos macrofagos circunvizinhos e caso a quantidade de sangue seja muito grande esse produto será drenado por vias normais de escoamento como vasos linfaticos, sanguineos ou cavidades adjacentes.  

Mas no entanto, como as pessoas que realizam esta pratica a fazem em um prazo de sete em sete dias, devido a estimular tanto o organismo a não reconhecer o proprio sangue, a prática pode levar a uma anemia hemolitica auto-imune.  

Cuidem-se e façam exames de sangue pra mostrar aqui no espaço de vocês que isso não tem acorrido.  

Mais do que divulgar alguma coisa vocês devem alertar quanto a riscos possíveis.  

Uma boa comprovação da técnica seria anexar aqui sempre hemogramas completos de pessoas que utilizam a prática há mais de alguns anos!  

 

Obrigada  

 

 

 

Data: 08/08/2009 01:19 

De: Dani  

IP: 189.83.23.16 

Assunto: Auto-Hemoterapia provoca metástase 

 

A mídia, em geral, apresenta os temas do Processo Saúde-Doença-Atenção em termos negativos e catastróficos. As boas notícias não são notícias. O que os meios de comunicação problematizam são os escândalos, as tragédias, os atos violentos e algumas pandemias reais ou potenciais. Lembram-se de quando íamos ficar doentes de cólera ou ter a síndrome da vaca louca ou a mais recente gripe aviária, para a qual o Ministério da Saúde [argentino] até comprou medicamentos naquele momento? Tudo isso vende mais do que outros fatos que não são tão espetaculares, por exemplo, a tarefa dos profissionais de saúde nesta – agora sim – real pandemia.  

 

Ao analisar as notícias sobre a pandemia em função de três dimensões (econômicas, epidemiológicos e sociais), podemos – de maneira esquemática – descrever sua evolução em sete etapas (que não têm uma linearidade mecânica, mas que se sobrepõem e coexistem).  

 

A primeira fase está vinculada com a origem da gripe suína. A partir da dimensão econômica, é necessário recuperar o papel dos negócios de alimentos da empresa Smithfield Foods Inc., a produtora de carne suína mais importante do mundo, que, com mais de um milhão de porcos no povoado de La Gloria, no México, é denunciada como o lugar onde a epidemia começou. É a terceira empresa nos EUA em produção de alimentos, com um faturamento anual de mais de 12 bilhões de dólares, localizada pela revista Fortune na posição 222 entre as 500 empresas mais importantes do mundo.  

 

A partir da dimensão epidemiológica, é necessário recuperar o artigo da revista Science de 2003, que alertava para a mutação do vírus da gripe suína e sua relação com as formas de produção de suínos. Em janeiro de 2009, a mesma revista assinalou a passagem do vírus dos suínos para os humanos.  

 

A partir da dimensão social, para os argentinos, era um problema dos outros, acontecia com os outros, e, para isso, nada melhor do que demonstrar a nossa capacidade de discriminar. Assim, cancelaram os voos com o México, gerando não poucas críticas na América Latina por essa atitude.  

 

A segunda fase se instalou como uma catástrofe. A partir da economia, a grande pressão do lobby de produtores de carne suína conseguiu mudar o nome da gripe que tomou assim uma denominação mais científica: gripe A (H1N1). A partir da dimensão epidemiológica, essa nova denominação permitia dar ao processo uma causalidade simples, ligada a um vírus, retirando toda relação com um processo social e produtivo como era o que a denominação anterior lhe dava. Desde o social, a pandemia se instalou como alarme e catástrofe. Os meios de comunicação começaram a reproduzir as mesmas notícias e os mesmos conteúdos.  

 

A Argentina começa a se olhar à luz da experiência mexicana. Um México primeiro superpovoado e de máscaras, depois, deserto. As crônicas jornalísticas convidam os argentinos residentes e de passagem pelo México a enviar o relato de sua experiência e de sua situação, onde agora todos são potencialmente “letais”.  

 

O México foi o espelho que nos devolve a imagem do que se tornaria o nosso país. Quem é o culpado? Eliminado o nome “gripe suína”, a gripe A H1N1 se refere à primeira criança que teve a doença, à mulher que foi para onde o vírus “sofreu mutação”, agora responsáveis por uma “pandemia iminente”. A situação mexicana nos leva a um túnel do tempo que remete à história das “pestes” e de suas consequências históricas, como se um século de desenvolvimento na medicina não tivesse incidência sobre as causas e as consequências potenciais da doença.  

 

A terceira fase está marcada pela desinformação. Do ponto de vista econômico, pôde se observar o posicionamento de alguns especialistas da infectologia (representantes crônicos de interesses comerciais), que, na transmissão televisiva, chamavam à calma, enquanto vestiam uma máscara. Patético! Outros, enquanto isso, nos preparavam para nos vender a próxima vacina.  

 

A partir do ponto de vista assistencial, existia uma saturação dos serviços ambulatoriais e de internação. As consultas se geravam, em parte, pelo pânico e pela desinformação, nos quais os meios de comunicação também faziam seu jogo. O desabastecimento, nas farmácias, de álcool gel e máscaras povoam as notícias, ao mesmo tempo que se referia à inocuidade do uso das máscaras. Os mortos vão marcando quem são os grupos de risco. Assim, dos tradicionais extremos da vida, crianças e idosos, como os mais vulneráveis, passa-se a jovens fortes e sadios, grávidas, até abranger todos.  

 

Na dimensão social, instalou-se o medo do outro, ao que tínhamos a nosso lado, a quem se aproxima demais. Bocas fechadas que se escondem atrás de um cachecol, que inibem bocejos sob a forma de uma careta, olhares desconfiados e cheios de medo são agora a fotografia do espaço urbano. Nos transportes públicos, os movimentos são mínimos e milimetricamente calculados, os olhares se cruzam em um alerta incansável para não se encontrar perto do outro. Aquele que espia torcendo o nariz para espirrar, tirar um lenço ou pigarrear para limpar a voz provoca uma confluência de olhares reprobatórios que se avalizam mutuamente, assim a culpa inibe a ação, chama para a autocontenção, os olhares censuram atos, outrora cotidianos, tornando evidente a discriminação social que muitos sofrem diariamente por outras circunstâncias.  

 

A quarta fase (que se superpõe à anterior) trouxe o autocuidado e a referência aos estilos de vida. Na dimensão dos negócios, apareceu a universalização da máscara, o uso do álcool e até apareceram os lenços “Dr. Ginés”. Vários laboratórios privados começaram a fornecer o diagnóstico a preços não inferiores a 250 pesos.  

 

A partir da dimensão epidemiológica, já se reconhecia que a pandemia não tinha a mortalidade suspeita. Na dimensão social, voltava a aparecer uma velha e cômoda explicação: a da responsabilidade individual que culpa a vítima. Além disso, era preciso conseguir o “isolamento social”, expressão que reforça no imaginário a fragmentação dos conjuntos sociais e a discriminação. Mais tarde, fazíamos uma descoberta sensacional: a água e o sabão eram muito úteis. Mas o que fazíamos com os lenços e o álcool que tínhamos acumulado esperando o Apocalipse?  

 

A quinta fase está marcada pela automedicação. Na dimensão econômica, é necessário recuperar a figura de Donald Rumsfeld (ex-secretário da Defesa de G.W. Bush). Um dos principais acionistas e ex-presidente do laboratório Gilead Sciences, que vende os direitos de fabricação e de comercialização do Tamiflu à empresa Roche. Do ponto de vista epidemiológico, soma-se o problema de quando e o que medicar. Por outro lado, potencializa-se no imaginário social que o medicamente cura e não que é um inibidor da reprodução viral. Na dimensão social, autocuidado, prevenção e automedicação se confundem na busca para se abastecer em casa de um bem escasso e precioso. A compra de antibióticos, antigripais e a busca desenfreada por Tamiflu, mesmo em países vizinhos, é o deleite daqueles que lucram com a venda livre de medicamentos e a desinformação das pessoas.  

 

Na sexta fase, encontramos o tema do tempo livre como consequência do isolamento social. Os meios de comunicação se dedicam ao esporte de contar os mortos, como se se tratasse de um jogo entre a vida e a morte. Esperando não se sabe que resultado, nem de que campeonato. Ou será que mais mortos favorecem alguém? Alguns epidemiologistas apelando a projeções numéricas conseguem trazer mais confusão e alarme. Do ponto de vista social, coloca-se em evidência um novo pânico: o que fazer com as crianças em casa? Quando modelamos e regulamos nossas vidas em torno de instituições que proveem um alívio essencial, garantir o uso “produtivo” do tempo para os pais, e quando o uso de tempo livre se associa à ilusão de estar ocupados conhecendo novos lugares, participando de eventos especialmente concebidos para a ocasião – cinemas, espetáculos, shoppings etc. –, evidencia-se o temor de nos encontrarmos expostos à intempérie dos grandes espaços que proporcionam alívio diante da exposição de nos olharmos na cara entre aqueles que compartilham o mesmo teto, colocando em evidência a evasão e a alienação cotidianas.  

 

Imaginamos a sétima etapa como o fim da pandemia e a saída da questão da agenda da mídia. Do ponto de vista epidemiológico, as outras epidemias existentes na Argentina continuarão em silêncio, algumas das quais matam mais do que a gripe suín… perdão, A (H1N1). Referimo-nos à tuberculose, à doença de Chagas, à leishmaniose, aos acidentes de carro e aos acidentes de trabalho, aos homicídios e à dependência às drogas. Muitas das anteriores parecem cumprir o papel de selecionadores sociais, completando assim a seleção biológica que a mortalidade infantil realizou nesses mesmos grupos sociais. Na dimensão social, questiona-se quais serão as consequências de tantas mensagens que reforçaram a ideia de se afastar do outro e que instalou a ideia do isolamento social como forma de salvação. Talvez pouco importe. A medicalização e a biopolítica continuarão seu trabalho. 

 

 

 

Data: 08/08/2009 00:47 

De: guilherme  

IP: 189.83.23.16 

Assunto: PRATICANTES DA AUTO-HEMOTERAPIA PODEM MORRER SE SE INFECTAREM COM A GRIPE SUÍNA!!!! 

 

PRATICANTES DA AUTO-HEMOTERAPIA PODEM MORRER SE SE INFECTAREM COM A GRIPE SUÍNA!!!!  

 

ATENÇÃO, É SÉRIO CUIDADO!!  

 

Comenta o médico Marcelo Monteiro:  

"O sistema imunológico forte está entre as causas específicas do problema. [...] O adolescente reage forte contra o vírus e isso dá uma reação inflamatória muito forte no organismo. E quando o organismo reage muito forte, ele (o adolescente) passa muito mal".  

 

http://ofolhapopular.com.br/index.php/saude/1256-infectologista-diz-que-itabira-esta-preparada-para-enfrentar-a-gripe-suina  

NÃO USEM AUTO-HEMOTERAPIA AGORA, SE CONTRAIREM A GRIPE H1N1 PODEM MORRER COM AS REAÇÕES DO PRÓPRIO SISTEMA IMUNOLÓGICO!!!!!!!  

 

 

Data: 03/08/2009 12:15 

De: Alguém  

IP: 189.83.123.110 

Assunto: Consta sobre essa farsa em um diálogo 

 

Valdo disse...  

Olha, também sou médico há 27 anos e não aconselho ninguém a praticar isso não, além de proibida e condenada pelo CFM e ANVISA isso aí só parece ter efeito mesmo na veterinária. Muita gente diz ter melhorado disso ou daquilo, mas em testagens sérias duvido que esses resultados apareçam. O amigo médico Varanda é homeopata, e o que um médico homeopata sabe sobre medicina? São por esses crápulas que muita gente acaba achando que a verdadeira medicina apóia essas sandices não comprovadas. Na minha opinião profissional não só a autohemoterapia deve ser proibida como também essa homeopatia que só brincam com a credulidade de pessoas que sofrem, e as afastam dos autênticos tratamentos que as ajudariam cientificamente.  

Podem gritar contra isso, mas essa que é a verdade.  

 

 

https://www.blogger.com/comment.g?blogID=15786590&postID=1384501757228348154&isPopup=true  

 

 

 

Data: 31/07/2009 00:59 

De: Verdade  

IP: 189.83.2.7 

Assunto: Falsidade no fórum 

 

Por que esse "Joel Martini de Campos" e esse "MARCELO FETHA", e tantos outros nomes inventados, usam a mesma estrutura semiótica... Ora meus amigos, é apenas a mesma pessoa se passando por vários, não perceberam? Acha que com maior volume de nomes inventados a favor provará essa técnica absurda como autêntica? Se é com essa falsidade que luta por sua auto-hemoterapia então deixa claro a todo o mundo o quanto isso é resultado de mentirosos escroques e farsantes.  

 

Que papelão!!!!!!!!!!  

 

Adeus bando de falsários!  

 

 

 

Data: 30/07/2009 12:15 

De: Denise  

IP: 189.83.49.254 

Assunto: Auto-Hemoterapia pra os Chineses 

 

Alô Sandrinha, eu acho que com o tempo a repetição da Auto-hemoterapia deve cansar o organismo sim, senão ele já naturalmente produziria 23% de macrófagos né. Nosso corpo tem uma homeostase, um equilíbrio dado por Deus, e todo processo de aceleramento tem que ter um preço. Concordei com os chineses nisso!  

 

 

 

 

Data: 30/07/2009 02:33 

De: Verdade  

IP: 189.83.6.11 

Assunto: Auto-Hemoterapia cura tudo! 

 

Auto-Hemoterapia cura tudo: coice de mula, dor de cotovelo, inveja, cárie, cãimbra, lepra, afasia, tuberculite lunar, pesadelos, ferida de chumbinho, insolação do Saara e ferroada de formiga saúva amazonense... só não cura ignorância, infelizmente!  

 

 

Só para todos refletirem:  

 

Riscos:  

Os riscos advindos deste procedimento, como: Inflamação; Infecção; Risco de acidente biológico; Transmissão de doenças;Sensibilização com antígenos eritrocitários e/ou leucoplaquetários.  

 

Ooinião dos Conselhos:  

Os conselhos Federal e Regional de Medicina e ainda para a Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (SBHH), a auto-hemoterapia é uma técnica sem valor científico.  

 

A SBHH chegou a divulgar um parecer ressaltando que a prática pode colocar em risco a saúde dos usuários. E que os supostos benefícios seriam resultado da auto-sugestão dos pacientes.  

 

O Conselho Regional de Medicina também condena a técnica e sua adoção pelos médicos. “Desde que tenhamos conhecimento do fato, esses médicos serão submetidos a um processo de sindicância. Nós somos totalmente contrários, tendo em vista não ser uma prática terapêutica que tenha substrato científico para a sua aplicação”, afirma o presidente do CRM, José Ferreira Nobre  

Aspectos legais e éticos:  

 

A prática do procedimento denominado auto-hemoterapia não consta na RDC nº. 153, de 14 de junho de 2004, que determina o regulamento técnico para os procedimentos hemoterápicos, incluindo a coleta, o processamento, a testagem, o armazenamento, o transporte, o controle de qualidade e o uso humano de sangue e seus componentes, obtidos do sangue venoso, do cordão umbilical, da placenta e da medula óssea.  

 

2. Tal procedimento consiste na retirada de sangue por punção venosa e a sua imediata administração por via intramuscular ou subcutânea, na própria pessoa.  

 

3. Não existem evidências científicas, trabalhos indexados, que comprovem a eficácia e segurança deste procedimento.  

 

4. Este procedimento não foi submetido a estudos clínicos de eficácia e segurança, e a sua prática poderá causar reações adversas, imediatas ou tardias, de gravidade imprevisível.  

 

5. A Resolução CFM nº 1.499, 26 de agosto de 1998, proíbe aos médicos a utilização de práticas terapêuticas não reconhecidas pela comunidade científica. O reconhecimento científico, quando e se ocorrer, ensejará Resolução do Conselho Federal de Medicina oficializando sua prática pelos médicos no país.  

 

Proíbe também qualquer vinculação de médicos a anúncios referentes a tais métodos e práticas.  

 

6. A Sociedade de Hematologia e Hemoterapia não reconhece o procedimento auto-hemoterapia.  

 

7. O procedimento “auto-hemoterapia” pode ser enquadrado no inciso V, Art. 2º do Decreto 77.052/76, e sua prática constitui infração sanitária, estando sujeita às penalidades previstas no item XXIX, do artigo 10, da Lei nº. 6.437, de 20 de agosto de 1977.  

 

8. As Vigilâncias Sanitárias deverão adotar as medidas legais cabíveis em relação à referida prática.  

 

 

 

 

Data: 29/07/2009 22:43 

De: Sandrinha  

IP: 189.83.59.165 

Assunto: Re: Repensando a Auto-Hemoterapia pelos Moldes Chineses 

 

Pelo que acabei de ler na página INSPETRA o Dr. Marcelo Dantas concorda com a Auto-hemoterapia, mas com um porém apenas. Fala dos riscos mas dá ênfase àquele lance de energia de vida pros chineses, JING. Isso me fez lembrar do Espiritirmo quando alguns médiuns produziam ectoplasma e perdiam energia vital emagrecendo e depois de muito tempo ficando caquéticos e doentes, morrendo cedo. Ou quando eu acabei de amamentar minha filha e fiquei com os cabelos brancos e um amigo médico me falou que a gestação e amamentação provocavam desgastes físicos extremos. Vou pesquisar mais sobre esse desgaste de JING que é destacado no artigo, não conheço nada sobre isso. Alguém sabe o que o Luiz Moura diz sobre esse desgaste de energia vital, mesmo ele estando com 82 anos? Será que a utilização de Autohemoterapia por muitos anos em grandes populações abreviariam a vida de muita gente? Será que isso existe mesmo? Minha avó morreu com 54 anos depois de ter 11 filhos, ela parecia ter uns 80 anos, será que a Autohemoterapia desgasta o vigor dessa mesma forma com o tempo? Não sei se acredito nisso ou não! Faço Autohemoterapia ha 2 anos pra flebites e pressão alta, não tive a cura mas sinto as pernas um pouco melhores depois desses 2 anos, a pressão ainda continua alta. Será que com esses 2 anos de tratamento assim eu estou esgotando a minha saúde futura?  

 

 

 

Data: 29/07/2009 14:19 

De: Sandrinha  

IP: 189.83.2.125 

Assunto: Repensando a Auto-Hemoterapia pelos Moldes Chineses 

 

Pelo que acabei de ler na página http://inspetra.wordpress.com/2009/07/26/repensando-a-auto-hemoterapia/ o Dr. Marcelo Dantas concorda com a Auto-hemoterapia, mas com um porém apenas. Fala dos riscos mas dá ênfase àquele lance de energia de vida pros chineses. Isso me fez lembrar do Espiritirmo quando alguns médiuns produziam ectoplasma e perdiam energia vital emagrecendo e depois de muito tempo ficando caquéticos e doentes, morrendo cedo. Ou quando eu acabei de amamentar minha filha e fiquei com os cabelos brancos e um amigo médico me falou que a gestação e amamentação provocavam desgastes físicos extremos. Vou pesquisar mais sobre esse desgaste de JING que é destacado no artigo, não conheço nada sobre isso. Alguém sabe o que o Luiz Moura diz sobre esse desgaste de energia vital, mesmo ele estando com 82 anos? Será que a utilização de Autohemoterapia por muitos anos em grandes populações abreviariam a vida de muita gente? Será que isso existe mesmo? Minha avó morreu com 54 anos depois de ter 11 filhos, ela parecia ter uns 80 anos, será que a Autohemoterapia desgasta o vigor dessa mesma forma com o tempo? Não sei se acredito nisso ou não! Faço Autohemoterapia ha 2 anos pra flebites e pressão alta, não tive a cura mas sinto as pernas um pouco melhores depois desses 2 anos, a pressão ainda continua alta. Será que com esses 2 anos de tratamento assim eu estou esgotando a minha saúde futura?  

 

 

 

Data: 29/07/2009 13:22 

De: Edu  

IP: 189.83.120.93 

Assunto: Não funciona pra alergia 

 

Na internet disseram q curaria a alergia, fiz 5 meses de tratamento com autoemo aki no Rio e a alergia só piorou. Não tive nenhuma melhora e quando parei de fazer parece q ainda fikei esgotado e com a bunda doendo de tanta aplicação. Ou só tem gente inventando q melhora alergia ou então eu sou o unico azarado do mundo. Eu naum recomendo mais autohemo a ni nguem e gsotaria de ver um verdadeiro alergista declarando ja ter curado alguem com isso, nao um monte de gfente q duvido q tenha mesmo tido alergia como tenho. 

 

 

Data: 29/07/2009 01:40 

De: Fernanda  

IP: 189.83.8.46 

Assunto: Linfonodos 

 

Estou fazendo autohemoterapia ha 3 meses devido a um cisto no ovário esquerdo. Hoje fiz exame e se constatou que não houve alteração nenhuma do meu cisto. E pior, alem dos injaços, roxeados e dor nos braços por causa das agulhadas ainda estou cheia de linfonodos pelas axilas e pescoço, estou decepcionada.  

Nunca devia ter acreditado nessa loucura toda!  

 

 

 

 

*****  

*****  

 

ESTE ROUBOU ABIXO, O TEXTO DO MARCELO R. DANTAs - POSTOU SEM CITAR A FONTE: 

 

*****  

*****  

 

 

 

Data: 27/07/2009 00:14 

De: Luiz Roberto  

IP: 189.83.39.254 

Assunto: Repensando a Auto-Hemoterapia pelos Moldes Chineses… 

 

 

 

A Auto-Hemoterapia jé é uma técnica consagrada e pode-se achar centenas de milhares de relatos de melhoras e curas pela internet e sempre com alguns conhecidos que a praticam. Não é minha intenção portanto duvidar de seus benefícios… Com esse artigo gostaria apenas de traduzir o que alguns médicos chineses parecem crer. Aparentemente na China a Auto-Hemoterapia é praticada já há mais de cem anos associada à Acupuntura: o sangue é retirado da prega do cotovelo e inserido em alguns pontos de acupuntura (músculos ou não) dependendo da patologia apresentada pelo paciente. Porém um conselho nos dizem os profissionais chineses: “jamais usar a Auto-Hemoterapia como prevenção”. Por que pensam assim? Aparentemente por três claras razões:  

1) A Auto-Hemoterapia só funciona se realizada semanalmente por alguns meses, ou até anos, e com isso os riscos de algum tipo de contaminação aumentam estatísticamente.  

2) Pela frequência das perfurações venosas e aplicações musculares (principalmente nos moldes ocidentais, fora das técnicas acupunturais) as lesões em veias e o risco de friboses, necroses e destruições musculares são crescentes.  

3) O terceiro motivo, mais importante, diz respeito ao conceito chinês de “Jing”, ou seja, a Auto-Hemoterapia curaria sim muitas patologias, mas o preço disso seria o envelhecimeto acelerado com grande desgaste desse “Jing”… E o que é isso?  

Jing, habitualmente traduzido por “essência”, é um conceito um tanto difícil de compreender da Medicina Tradicional Chinesa. Jing pode ser considerado a escora de todos os aspectos de vida orgânica. Uma “bateria”, ou tempo de “Energia Vital” que recebemos quando nascemos.  

Se Jing é abundante, haverá uma forte força vital e o organismo será saudável e radiante, ao passo que em caso de Jing deficiente, a força vital enfraquece e o organismo fica susceptível à doença e a desordens de todo o tipo. Ou seja, a vitalidade e potencial de cura da Auto-Hemoterapia viria justamente desse maior uso de nosso “Jing”.  

Será, talvez, útil distinguir “Jing” de “Chi” (Qi), considerando a noção de movimento. O “Chi” é responsável pelos movimentos diários do corpo, e Jing poderá ser associado às alterações lentas de desenvolvimento que caracterizam o crescimento do organismo desde o feto ao longo da vida até a idade adulta e morte.  

 

Origens e tipos de Jing 

O Jing Congenital(Xian Tian Zhi Jing) é formado pela união das energias sexuais do homem e da mulher no ato da concepção. Assim, este Jing Congenital forma a base do crescimento pré-natal no útero e alimenta o desenvolvimento do feto e do embrião. A quantidade e a qualidade do Jing Congenital de cada pessoa são fixas e determinam as suas constituição e características ao longo da vida.  

O Jing Pós-Natal (Hon Tian Zhi Jing) é o Jing que preservado a partir dos alimentos, sólidos e líquidos, ingeridos através da ação do Baço e do Estômago. Este Jing Pós-Natal serve para suplementar o Jing Congenital e, em conjunto, eles constituem o Jing total do organismo.  

A medicina chinesa associa estreitamente o Jing à função dos Rins, e o Jing dos Rins representa uma outra distinção entre o Jing Congenital e o Jing Pós-Natal. Bastará para esta abordagem reconhecer que o Jing dos Rins promove a transformação de Yin dos Rins em Chi dos Rins sob a influência quente de Yang dos Rins.  

 

Funções do Jing 

Jing regula o crescimento, a reprodução, a vitalidade, o potencial de cura e o desenvolvimento.  

Jing é crucial para o desenvolvimento de indivíduo ao longo da vida.  

Na infância é responsável pelo crescimento dos ossos, dos dentes e do cabelo. Além disso, promove igualmente o desenvolvimento do cérebro e a maturação sexual. Na idade adulta, Jing forma a base da reprodução. A fertilidade, tanto no homem como na mulher, depende de um forte Jing dos Rins.  

Jing promove o Chi dos Rins. Como se disse acima, a relação entre Jing e os Rins é muito forte. O Chi dos Rins é especialmente importante, pois é considerado a base de todo o Chi no organismo. Assim, se o Chi dos Rins estiver de algum modo deficiente ou enfraquecido, então isto levará a uma deficiência e fraqueza do Chi de todo o organismo.  

 

Jing produz Medula 

Na medicina chinesa, o conceito de Medula vai para além da noção ocidental de medula óssea, para incluir a constituição fundamental da espinhal medula e do cérebro. Uma vez que Jing é responsáveI pela produção de Medula, poderá haver conseqüências graves se este processo for enfraquecido pela Auto-Hemoterapia prolongada. O preço da saúde seria abreviar a vida, ou ao menos a “qualidade da vida” na medida em que o tempo passa. Passa os chinese nada é gratuito, se aumentamos agora uma função, no caso a produção de macrófagos, então estaríamos gastando um outro lugar, pervertendo a sabedoria do corpo.  

 

Jing forma a base da nossa constituição 

A força do nosso Jing determina a nossa força constitucional básica.  

Assim, o Jing atua em cooperação com o Wei Chi para ajudar a proteger o organismo dos fatores externos. Se Jing é fraco, o indivíduo poderá ser cronicamente propenso a infecção e doença.  

 

Desarmonias de Jing 

As desarmonias de Jing tendem a relacionar-se diretamente com as funções acima descritas.  

 

Distúrbios de desenvolvimento 

Qualquer perturbação no desenvolvimento – dificuldades de aprendizagem e incapacidades físicas nas crianças – é devida a uma deficiência de Jing. Na vida adulta, à medida que Jing diminui, ocorre a deterioração fisica, vulgarmente verificada na forma de deficiências visuais e auditivas, embranquecimento do cabelo e calvicie, bem como fragilidade geral e senilidade.  

 

Distúrbios relacionados com os Rins 

Devido à estreita relação de Jing com os Rins, qualquer deficiência pode provocar problemas relacionados com os Rins como a impotência, dores na parte inferior das costas e zumbido nos ouvidos.  

 

Distúrbios relacionados com a Medula 

Se Jing for fraco, poderá ocorrer disfunções do cérebro como fraca memória, diminuta capacidade de concentração e tonturas.  

 

Debilidade constitucional 

Isto pode levar a uma tendência crônica para doenças externas e alergias que o individuo tem muita dificuldade em debelar.  

 

Ou seja, para os chineses a Auto-Hemoterapia é válida e excelente, mas deveria ser usada apenas como curativa e não como preventiva. Para prevenir patologias eles nos deram a Acupuntura, a Dietética, a Fitoterapia, o Qi Gong e toda uma milenaridade em sabedoria…  

 

 

 

Data: 26/07/2009 01:59 

De: Luiz Roberto  

IP: 189.83.10.56 

Assunto: Repensando a Auto-Hemoterapia pelos Moldes Chineses… 

 

Gostaria muito que alguém mais informado me explicasse o que aparece nesse site:  

 

http://inspetra.wordpress.com/2009/07/26/repensando-a-auto-hemoterapia/  

 

 

 

 

 

Data: 25/07/2009 18:07 

De: Cézar  

IP: 189.83.44.48 

Assunto: FRAUDE FRAUDE FRAUDE!!!!!!! 

 

Autohemoterapia é só mais um hócus-pócus ainticientífico. Ficar se injetando sangue pode causar fibrose no músculo, isto se não der uma infecção generalizada (aquilo que morreu a modelo).  

 

O procedimento não é científico e não foi liberado em nenhum país que faça pesquisas sérias em procedimentos médicos. Por outro lado, como aqui já liberaram a homeopatia, imagino que esta porcaria de autohemoterapia também vai passar...  

 

Um detalhe, quanto mais coisas algo alega curar, e sem apresentar nenhum estudo clínico, mais você deve desconfiar. A autohemoterapia é uma fraude médica, e é popular só no Brasil, em nenhum outro país parece que alguém tenha ouvido falar sobre ela.  

 

 

 

Data: 25/07/2009 00:30 

De: Marcelo  

IP: 189.83.60.163 

Assunto: Auto-aplicação 

 

Auto-Hemoterapia proibida? Eu retiro e aplico, no escuro do meu quarto, na inviolabilidade constitucional do meu sagrado lar, o meu próprio sangue em mim mesmo, quantas vezes quiser e na quantidade que me aprouver. E quando sobra um pingo na seringa eu lambo porque eu gosto e descarto a seringa como lixo médico. Retiro da prega do cotovelo e aplico no músculo vasto lateral, músculo que compõe o quadríceps femoral tendo como função a extensão da perna e flexão da coxa… Proibam-me se forem capazes. E o que eu obtive com isso? A extraordinária melhora (cura?) de uma hiperplasia prostática tratada desde 1997 pelas “sofisticadas” técnicas médicas oficiais, sem resultados significativos… Dizem que foi devido ao “efeito placebo”, bem, dane-se o motivo, deixe-me injetar placebo então para me sentir tão bem assim!!!  

 

 

 

Data: 11/07/2009 19:10 

De: sandra  

IP: 189.83.41.109 

Assunto: Lupus 

 

olá querida!eu tambem fui diagnosticada por led que significa lupus eritomatoso discóide,no meu caso,atacou a pele faço tratamento com reumatologista há 5 anos.isso é porque a sua imunidade esta baixa e os anti corpos esta atacando seu próprio corpo,no seu caso a cabeça só que o lupus faz perda de cabelos sim!se vc não fizer um acompanhamento medico, pode passar para lupus eritomatoso sistemico Deus te livra disso porque o lupus sistemico ataca além da pele.todos os orgãos.procure um reumatologista urgente,e um dermatologista para ver o problema do cabelo.eu fiz o exame de fan e deu positivo 1/320 depois de 6 meses deu 1/180 6 meses depois deu 1/80 e agora mes de março deu 1/160 mas não estou nem um pouco preocupada porque Deus é os Médicos dos Médicos.e para ele tudo é possível! fique com Deus bejos me manda seu comentário.  

MARCELO FETHA (fetha@ibest.com.br)    

[voltar]

envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a participação que motivou este comentário]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2021)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org